RIO — As influências são as mais diversas, do Queen ao Barão Vermelho, passando pelo grunge do Pearl Jam ao funk rock do Red Hot Chili Peppers, e dentro da “loucura” de unir cinco integrantes com referências musicais bem distintas entre si tocarem, a Banda tijucana Lemak completa oito anos pronta para alçar voos mais altos na carreira.

O grupo, fundado em 2010, sempre se caracterizou pela mistura de elementos em suas composições, mas fincou de vez os pés no pop rock no lançamento de seu novo EP, “Lemak”. Este ano, o quinteto assinou com a gravadora Midas Music, do produtor musical Rick Bonadio, e o single “Dias Banais”, alcançou quase 70 mil visualizações em duas semanas.

— Surgimos como um grupo de amigos que tocava na noite da Tijuca e região, mas sempre valorizamos nossas músicas autorais. Desde que assinamos com a Midas, nossa carreira deu um salto em termos de profissionalismo e suporte — destaca.— Lançamos o clipe de “Dias Banais” no fim de maio, e em poucos dias, o vídeo alcançou 20 mil visualizações.

Na mistura de elementos da banda, que se orgulha de não ter medo de inovar na sonoridade, um dos elementos mais originais é o violino marcado de Duda Bemol. O músico enfatiza que a busca por originalidade sempre foi uma característica do grupo, e diz que o foco de divulgação é todo em plataformas digitais.

— Surgimos numa época em que comprar álbum físico virou algo raro, então nosso foco é totalmente voltado para a divulgação em plataformas como o YouTube, Facebook e Spotify. Conseguimos atingir muito mais pessoas de forma mais rápida, o que é fundamental para quem nasceu na cena independente — frisa.

— Nunca tínhamos contado com a estrutura que temos atualmente, e isso se reflete até na nossa agenda. Hoje, podemos ser mais seletivos com relação aos locais onde nos apresentamos e nos damos ao luxo de pôr o foco na qualidade dos shows, o que tem sido fundamental — acrescenta o baixista.