A Promotoria de Los Angeles descartou vários processos contra o cineasta James Toback por denúncias de assédio e abuso sexual feitas contra ele por cerca de 40 mulheres, principalmente porque a maioria havia prescrito. O escritório da promotora Jackie Lacey divulgou nesta segunda-feira documentos sobre cinco denúncias feitas entre 1978 e 2008.

Delas, uma era processável atualmente, a de Jane Doe 5 (nome atribuído a uma mulher com identidade desconhecida ou protegida por anonimato), que assegurou que em 2008 o diretor de 73 anos “esfregou sua virilha contra a perna nua da mulher até ejacular”. “Jane Doe 5” tinha previsto dar um depoimento à Promotoria, mas não se apresentou, indicou o documento.

Outra denunciante, uma atriz identificada como “Jane Doe 4”, indicou que o diretor se masturbou quatro vezes em sua presença durante uma reunião no hotel Bervely Hills em 1993. Também disse que Toback havia esfregado o pênis contra sua perna. Este tipo de crime, detalhou a Promotoria, prescreve depois de um ano.

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.