O tenista suíço Roger Federer voltará à liderança do ranking mundial da ATP (Associação de Profissionais do Tênis) na próxima segunda-feira (14), mesmo sem jogar desde março. O jogador de 36 anos ultrapassará o espanhol Rafael Nadal, que perdeu nesta sexta-feira (11) nas quartas de final do Masters 1.000 de Madri para o austríaco Dominic Thiem, por 2 a 0, com parciais de 7/5 e 6/3.

Nadal havia sido campeão em Madri em 2017 e perderá 820 pontos no ranking por não ter repetido o resultado, ficando com 7.950. Federer, por sua vez, não “defendia” pontos, já que também não disputou o torneio espanhol no último ano, e permanece com 8.670.

Desde 2017, Federer não disputa torneios no saibro para se poupar fisicamente para a temporada de grama, seu tipo de piso favorito. O suíço já confirmou que está fora de Roland Garros, Grand Slam que começa em 27 de maio.

A última aparição de Federer no circuito foi em 24 de março, em derrota na estreia do Masters 1.000 de Miami para o australiano Thanasi Kokkinakis, por 2 sets a 1. Em 2018, o suíço foi campeão do Aberto da Austrália e do torneio de Roterdã, além de vice-campeão no Masters 1.000 de Indian Wells, nos EUA.

Dominic Thiem havia sido o último jogador a derrotar Nadal no saibro, nas quartas de final do Masters 1.000 de Roma de 2017. O jogador de 24 anos também encerrou a série de sets consecutivos do espanhol na superfície. Nesta quinta-feira (10), Nadal havia quebrado o recorde de sets seguidos em um mesmo piso ao vencer o 50º, um a mais que o americano John McEnroe no extinto carpete.

Na próxima semana, Nadal poderá recuperar a liderança em Roma. Por ter perdido nas quartas de final do torneio italiano em 2017, o espanhol “defende” apenas 180 pontos e passará Federer se for campeão.