RIO – O bairro do Flamengo perdeu de vez um dos principais espaços de resistência cultural da cidade. O local onde funcionou o Cine Paissandu, tradicional ponto de contracultura e encontro da classe artística nos anos 1960, está sendo transformado no primeiro endereço de uma rede de academias que acaba de chegar ao estado. Embargada em fevereiro deste ano, numa ação conjunta da Superintendência da Zona Sul e da Secretaria municipal de Urbanismo, Infraestrutura e Habitação, a obra no prédio foi retomada há quinze dias.

Procurada, a secretaria informou, por meio de nota, que a intervenção foi liberada “após ser constatado que se trata de modificações internas no prédio, sem acréscimo de área. Sendo assim, a reforma é dispensada de licenciamento”.

— Estabelecemos um prazo de 90 dias para a conclusão da obra. Então, esperamos que em dois meses e meio ela esteja pronta — contou Marcel Gadra, diretor de expansão da rede de academias Bluefit, acrescentando que o espaço vai funcionar 24 horas.

A chegada da academia ao número 35 da Rua Senador Vergueiro, no entanto, é comemorada por comerciantes da região. Há 40 anos trabalhando na área, Manoel Carneiro, sócio do restaurante Garota de Ipanema, ainda se lembra dos bons tempos em que o cinema levava movimento para a casa. Ele acredita que o novo empreendimento também impulsionará as vendas:

A mudança no perfil do espaço, no entanto, deixa os moradores divididos. Enquanto alguns celebram a ocupação de uma área que estava abandonada, outros sentem falta de um ponto dedicado à cultura no Flamengo. A aposentada Sueli Ramalho, moradora do prédio que fica sobre o antigo cinema, faz coro com os comerciantes da região:

— O bairro já está cheio de academias. Embora os cinemas de rua estejam fadados a acabar, aquilo poderia ser um outro ponto de cultura. Mas pelo menos não vai ficar fechado, né? E ainda bem que não virou uma igreja — brincou.