A edição de 2018 é dedicada aos deslocamentos humanos, às transitividades e às construções de identidades individuais e coletivas. O cinema contemporâneo, com um intenso trânsito de cineastas, atores, produtores e filmes sendo viabilizados através de coproduções, fica cada vez mais internacional e multi-identitário.