Os rodoviários paralisaram as atividades temporariamente nas garagens do consórcio OT Trans nesta quarta-feira, 16. Com isso, os ônibus da cor verde não estão circulando. A situação afeta cerca de 900 coletivos, que atendem a àrea chamada de miolo da cidade, ou seja bairros como Pernambués, Tancredo Neves, Cabula, Mata Escura, Narandiba, São Gonçalo até, Mussurunga, Cajazeiras e São Cristóvão.

Os ônibus que atendem a região passando do Elevador Lacerda, no Comércio, até Itapuã, passando pela orla de Salvador, e a frota que circula entre Fazenda Grande do Retiro até Paripe, no Subúrbio da cidade rodam normalmente nesta manhã.

A paralisação parcial é para realização de assembleia nas garagens da OT Trans. A previsão é que a situação normalize a partir das 8 horas.

Os rodoviários estão em campanha de negociação salarial. Eles reivindicam 6% de reajuste na remuneração e aumento de 10% no tíquete-refeição.

"A gente não pegou a cidade inteira justamente para ter mobilidade na cidade", disse o diretor do Sindicato dos Rodoviários, Daniel Mota, acrescentando que a categoria deve realizar atos semelhantes nas garagens dos ônibus das cores azul e amarelo. Contudo, ele não revelou a data dos possíveis protestos. 

Ainda nesta manhã, às 9 horas, rodoviários e o patronato têm uma mesa de negociação mediada na sede da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE), na avenida Tancredo Neves. 

O secretário de Mobilidade Fábio Motta disse em entrevista para uma rádio que a prefeitura foi surpreendida pela paralisação.  "Da mesma forma que a população foi pega de surpresa, soubemos ontem (terça) pela imprensa (da paralisação). Somente agora que soubemos que as garagens que seriam fechadas são da Integra verde. Estamos aguardando o final da manifestação para que a cidade volte ao normal", afirmou. 

Algumas linhas dos ônibus das cores azul e amarelo foram remanejadas na Estação Acesso Norte para atender os passageiros que querem seguir para o Cabulo e outros bairros da região.