Imagine-se acordando em sua cama para mais um dia normal e corriqueiro. Você se levanta, caminha até o banheiro e percebe que se tornou o Adam Sandler. Em uma realidade paralela, onde você não faz a menor ideia de qual efeito temporal tomou conta da linha do tempo normal na qual costumava viver, não há outra saída para a situação: você precisa encarnar na pele do famoso astro da comédia. 

Certamente, seu primeiro impulso seria pensar no trabalho. Sandler, afinal, provavelmente estaria participando de mais uma de suas mais de 50 obras, nas quais se divide entre os ofícios de ator, produtor e roteirista. Na sua cabeça, que tipo de filme ele estaria fazendo? Provavelmente, alguma trama qualquer na qual ele interpreta um rapaz meio bobo que se apaixona por uma mulher incrível e fica com ela no final. Certo? 

Em, praticamente, todos os casos, você estaria certo. No entanto, eventualmente, quando surge em Sandler o atípico impulso de sair de sua zona de conforto, ele resolve fazer algo totalmente diferente. Assim, esporadicamente. E, quase sempre que isso acontece, temos um resultado, no mínimo, surpreendente.

Aproveitando que sua mais recente comédia, Mistério no Mediterrâneo, sagrou-se como o lançamento mais assistido da história da Netflix, o AdoroCinema preparou uma lista especial com cinco filmes onde Adam Sandler mostra que seu currículo está preparado. Tanto para receber as queridas “farofas” que já conhecemos — e amamos — muito bem, quanto para fugir do usual e mostrar um outro lado. Confira!

Alguns anos antes de estrelar o icônico Como se Fosse a Primeira Vez, Drew Barrymore já era o interesse romântico de Adam nas telonas. Produzido em 1998 e ambientado em 1985, Afinado no Amor pode até se parecer com a maioria de seus filmes, mas alguns detalhes o tornam um pouco mais peculiar e destoante. Além de trazer algumas performances musicais interessantes do ator — relembrando sua carreira no Saturday Night Live —, ele ganha méritos ao criar terreno para uma química delicada e despretensiosa entre seus protagonistas. Brega? Um pouco. Fofo? Também. 

Apesar de dividir opiniões entre a crítica, Reine Sobre Mim talvez tenha trazido um dos papéis mais dramáticos de Sander nos cinemas até agora. Protagonizando a trama agridoce de um homem que reencontra um antigo colega de quarto alguns anos depois de perder toda a sua família no atentado terrorista ocorrido em 11 de setembro de 2001, o ator aparece como um quarentão desleixado, cheio de traumas e internalizações. Ao lado de Don Cheadle, é notável o quanto Adam se esforça para abandonar todos os seus traços característicos: do tom de voz impostado até o visual “padrão”. É possível que ele te arranque algumas lágrimas.

Um cara engraçado que não é feliz. Um comediante com a vida ganha que está morrendo. Um astro do cinema cansado da sua trajetória. Alguns espectadores chegam a sugerir que Tá Rindo do Quê? é uma espécie de retrato distorcido da vida do próprio Adam Sandler que, supostamente, estaria interpretando uma versão de si mesmo. Teorias à parte, o fato é que o filme, coestrelado por Seth Rogen e dirigido por Judd Apatow, traz um protagonista caótico que aceita a própria falta de sentido e leva uma rotina desregrada. Já saturado de seus filmes e shows de comédia, ele contrata um iniciante no ramo para escrever suas piadas e aprende mais com ele do que esperava. Sua perspectiva de vida, então, muda completamente. 

Provavelmente o filme mais bem avaliado da lista inteira, Os Meyerowitz não se deu por satisfeito ao trazer Sandler para um papel de alta carga dramática, como fez o mesmo com Ben Stiller, outra figura conhecida para os fãs da comédias farofeiras. Evidenciando um retrato realista e sublime de uma família cativantemente comum, a obra de Noah Baumbach recebeu 93% de aprovação no Rotten Tomatoes e se consagrou como uma das melhores produções originais Netflix, trazendo outros nomes de peso como Dustin Hoffman, Emma Thompson e Elizabeth Marvel. 

Para alguns, Embriagado de Amor mostra como Adam Sandler pode ser um ótimo ator quando se esforça. Para outros, o filme, na verdade, é uma prova de que Paul Thomas Anderson é um diretor tão excepcional que consegue até mesmo fazer com que Sandler entregue uma performance ímpar. Enquanto a realidade se aproxima mais de uma mistura entre as duas opiniões, o longa traz a mundana história de um empresário que se apaixona por uma colega de trabalho da sua irmã e acaba sendo ameaçado por um chantagista. 

Provavelmente nunca vimos Adam Sandler sendo tão “ele mesmo”. Ao zapearmos pela Netflix e encontrarmos um especial de Stand-Up Comedy do astro, é comum que o primeiro pensamento seja o de que iremos nos deparar com o seu tipo clássico de piada. E na verdade, é exatamente o que acontece. No entanto, no meio do caminho, são mencionados alguns temas um tanto imprevisíveis, como o “desgosto” da crítica especializada pelos filmes de Adam, declarações de amor para sua esposa, histórias peculiares envolvendo suas filhas, e até uma homenagem inesperadamente emocionante para o seu amigo e comediante, Chris Farley, falecido em 1997. Até o diretor Paul Thomas Anderson, já mencionado acima, ganha um agradecimento.