Categorias
Curiosidades

7 curiosidades sobre os cachorros de John Wick – mas atenção: é fofura demais

Ao longo da franquia John Wick, os cachorros do personagem de Keanu Reeves fazem aparições recorrentes. No entanto, não são momentos insignificantes na trama, uma vez que os animais realmente motivam o protagonista e até o ajudam em combates.

Inicialmente, Daisy, cadela de John Wick, sobreviveria ao longo dos filmes. No entanto, a morte fictícia do animal serviu de motivação para o protagonista ir atrás de vingança. Daisy, uma beagle, foi interpretada por Andy, um cachorro de 8 meses adquirido para o longa.

Trabalhar com cães pode ser difícil. Durante as gravações do terceiro filme da franquia John Wick, Cha Cha, um dos cachorros que interpreta o pitbull do protagonista, arrumou briga com um cavalo. Apesar do susto, ninguém saiu ferido.

Em John Wick 3, o protagonista busca a ajuda de Sofia Al-Alwar, personagem sempre acompanhada por dois cães pastores belgas. Os animais foram interpretados por cinco cachorros para que não trabalhassem até a exaustão.

Halle Berry, intérprete da personagem, não precisou de treinador para cães. Ao invés disso, a estrela passou um tempo com os animais para que eles se acostumassem com ela.  

Apesar de não precisar de treinador de cães, Halle Berry teve um problema com os animais durante as filmagens de John Wick 3. Enquanto gravavam em Marrocos, os cachorros ficaram furiosos ao encontrar gatos de rua perto do set. 

Cenas de ação, marca de John Wick, não são necessariamente fáceis, principalmente quando trabalha-se com animais de verdade. O diretor Chad Stahelski falou sobre o assunto no podcast ReelBlend: “Quando um cão ataca, ele está tentando machucar uma pessoa de verdade”.

Andy, intérprete de Daisy no primeiro John Wick, tinha apenas 8 meses, e, portanto, não era muito adestrado. Por isso, a produção elaborou técnicas para que o animal obedecesse – e uma delas envolvia bacon. 

Comentários