Carla Diaz foi a atriz escolhida para interpretar Suzane von Richthofen. Ela será protagonista do filme que contará a história de um dos mais lembrados casos policiais do Brasil. A informação foi confirmada pelo colunista Hugo Gloss nesta quinta-feira, 13.

O longa conta a história do caso de Suzane Von Richthofen, jovem que assassinou os próprios pais em 2002 em São Paulo, com o auxílio de seu namorado à época, Daniel Cravinhos, e o irmão dele, Christian Cravinhos. O crime chocou o Brasil e o mundo na época.

Segundo o diretor Maurício Eça – cujo currículo inclui o clipe de “Diário de um detento”, dos Racionais MC’s, e dois filmes da franquia infantil “Carrossel” -, “A menina que matou os pais” se concentrará no contexto dos assassinatos de Manfred e Marísia von Richthofen, pais de Suzane, em outubro de 2002.

Vale lembrar que Carla Diaz esteve em recentes novelas da Globo –Espelho da Vida e A Força do Querer. A atriz começou na TV aos quatro anos de idade, em Éramos Seis, do SBT, em 1994.

Famosa por sua atuação, a atriz Carla Diaz roubou a atenção do público e chocou com a forma como ela ficou idêntica com a assassina Suzane von Richthofen, presa e condenada pelo assassinato dos próprios pais.

Ainda segundo o próprio diretor disse, o filme será um thriller psicológico de suspense”, com “detalhes e discussões nunca antes debatidos sobre o caso”. A produção pretende abordar os motivos em torno do assassinato e retratar os acontecimentos que envolvem o crime e o julgamento dela e de seu ex-companheiro e Daniel Cravinhos.

Em 2002, o país assistiu consternado o brutal assassinato de um casal rico, encontrado morto dentro de sua própria residência em um bairro nobre da cidade de São Paulo. Pouco tempo depois, os investigadores apontaram a filha do casal, Suzane von Richthofen, como a principal suspeita do crime.

Suzane e Daniel Cravinhos foram condenados a 39 anos e 6 meses de prisão; Cristian Cravinhos foi condenados a 38 anos e 6 meses de detenção. Até o momento, Suzane, que será interpretada por Carla Diaz no cinema, tenta passar para o regime semiaberto, após quase 20 anos presa.