Outras celebridades estrangeiras também estão se posicionando nas redes sociais contra o candidato. E não é sem conhecimento de causa não. Alguns deles já tiveram a oportunidade de conversar com Bolsonaro e tem traçado um perfil dele. De acordo com o “UOL”, Ellen Page, Stephen Fry, Dan Reynolds, Alfonso Herrera e a banda americana Black Eyed Peas são alguns artistas que já manifestaram apoio à causa, que conta com várias celebridades brasileiras.

Ellen Page, atriz e produtora canadense e mais conhecida no Brasil por trabalhos como “Juno” e “A Origem”, é uma que aderiu o movimento. Ela já entrevistou Bolsonaro para o documentário “Gaycation”. Para ela, o candidato prolifera um tipo de atitude inaceitável. “Ele é perigoso, homofóbico, racista e misógino”, escreveu a atriz nas redes sociais.

I interviewed #jairbolsonaro for Gaycation Brazil. He’s a dangerous, homophobic, racist and misogynistic man who currently is leading the presidential race in Brazil. Direct homophobic quote “Prefer that my son dies in an accident than show up with some dude with a mustache.” Join the voices of people coming together in Brazil to say #elenao #neverhim. I’m sending love and support to those in Brazil resisting this madness. Gaycation is available on @hulu if you are interested in checking out our episode in Brazil. #elenao #brazil

Em entrevista ao “UOL”, o escritor e comediante britânico Stephen Fry, disse que o deputado é populista, tem intelecto insignificante, coração de pedra e não representa de fato o Brasil. Fry entrevistou Bolsonaro em 2013, quando filmava o documentário “Out There”, que tratava o avanço da homofobia no mundo.

O líder da banda americana Imagine Dragons, Dan Reynolda, apareceu com a camiseta do movimento “EleNão” nos bastidores do festival iHeartRadio, em Las Vegas. No Twitter, ele escreveu: “Isso não representa o Brasil que eu conheço e amo”. O músico esteve no país em março e se apresentou no Lollapalooza Brasil.

Alfonso Herrera, conhecido pela série Sense8 e a novela mexicana RBD, criticou o candidato e já compartilhou a hashtag “EleNão”. Para a revista britânica The Economist ele classificou o brasileiro como uma “ameaça para a America Latina”.

Os integrantes do Black Eyed Peas, grupo de sucesso nos anos 2000, também vem se posicionando na campanha internacional contra Bolsonaro. “Brasil, estamos com vocês nessa luta! Muito amor, diversidade e respeito! Ele Não”, escreveu a banda nas redes sociais.

A cantora inglesa Dua Lipa, se posicionou repostando um tuíte de Peter Meiszner, editor de uma publicação de arquitetura e urbanismo de Vancouver, que compara Bolsonaro a Donald Trump. “Ele disse que preferia que seu filho morresse a ser gay. E, na frente das câmeras, ele falou a uma congressista que ele não a estupraria porque ela é feia’. Brasil flerta com um retorno aos dias sombrios.”