SÃO PAULO  –  Protestos de rua contra o candidato Jair Bolsonaro (PSL) reuniram milhares de pessoas pelo país neste sábado, após a difusão do mote ‘#EleNão’ nos últimos dias em redes sociais. O movimento foi difundido por celebridades brasileiras, como Daniela Mercury e Bruna Linzmeyer, e endossado por personalidades internacionais, como Madonna, Cher, Dua Lipa e Dan Reynolds.

Bruna Linzmeyer, Paula Lavigne, Letícia Sabatella, Sophie Charlotte e o marido Daniel de Oliveira, Paula Burlamaqui, Nanda Costa, Juliana Alves, Débora Lamm, Françoise Forton, Fernanda Paes Leme e outros artistas se reuniram na Cinelândia, no Centro do Rio, para protestar contra Bolsonaro.

Nas ruas, as expressões “Ele não” e “Mulheres contra Bolsonaro” apareceram em camisetas, pintadas no corpo de manifestantes e em gritos. O roxo, cor escolhida para representar o ato, também podia ser visto em roupas, estandartes e faixas, junto a reivindicações de tolerância, respeito e amor. O mote “Mulheres contra Bolsonaro” era frequente.

As manifestações foram convocadas por mulheres e também reuniram homens. Participantes empunharam cartazes e entoaram paródias com letras críticas ao político, relacionando-o a atitudes consideradas machistas, misóginas, homofóbicas e racistas. Movimentos sociais, grupos feministas e partidos também se engajaram nas mobilizações.

Bolsonaro é o líder das intenções de voto, com 28% das preferências na mais recente pesquisa Datafolha, de sexta-feira. O segundo colocado é Fernando Haddad (PT), com 22%. No segundo turno, porém, o capitão reformado seria derrotado em todos os cenários simulados.