Os carros voadores devem chegar em breve nas grandes cidades. Esses automóveis de decolagem e pouso vertical, conhecidos pela sigla VTOL ou eVTOL (do inglês electric vertical takeoff and landing), poderão prestar serviços para os usuários. Diversos projetos financiados por empresas como Uber, Audi e Rolls-Royce estão em fase final de testes, com previsão de lançamento para os próximos anos.

Os veículos têm capacidade de atuar no transporte de cargas ou de pessoas, tanto para o setor civil quanto militar. Diversos estudos avaliam as peculiaridades da nova modalidade, analisando os benefícios que estão sendo divulgados a respeito dos lançamentos. Pensando nisso, o TechTudo reuniu alguns destes atributos e os impactos positivos que os carros voadores podem trazer.

Essa é uma das principais características, já que muitas das empresas projetam suas pesquisas com o objetivo de oferecer o serviço no futuro. No caso de alguns modelos não-autônomos, o condutor deverá estar habilitado para pilotar, além de dirigir. Sendo assim, a infraestrutura para implementação do sistema pretende formar uma rede conectada com outros meios, contribuindo para a melhoria da mobilidade já existente nas cidades.

Os carros voadores certamente vão diminuir distâncias, principalmente entre pontos nos quais veículos aéreos de maior porte não atendem. Alguns modelos, como o Bell Nexus, podem alcançar cerca de 240 km/h e carregar até cinco passageiros. Uma estimativa calculada pelo futuro aplicativo uberAIR prevê que uma viagem padrão de carro que levaria cerca de 2 horas e 10 minutos seria feita em apenas 18 minutos, o que pode ser considerado uma economia de tempo considerável para realizar os compromissos do dia-a-dia.

Além disso, existem exemplos de projetos que envolvem usar os carros tanto no chão quanto no ar. É o caso do PAL-V Liberty, que traz rodas para circular pelas ruas. Em situações de trânsito, portanto, o usuário pode escolher qual a melhor alternativa e planejar sua viagem com mais uma rota alternativa – e, provavelmente, mais rápida.

A ideia dos carros voadores é, também, melhorar a qualidade de vida das pessoas. Certos projetos pretendem disponibilizar recursos de navegação autônoma, por exemplo, sendo possível viajar sem um motorista. Além disso, o estresse causado por longas horas no trânsito em grandes cidades também pode ficar para trás, gerando um conforto ainda maior aos usuários. Viagens previamente agendadas em feriados e finais de semana podem facilitar o ir e vir durante o lazer de famílias, enquanto serviços de entrega de produtos e cargas também têm muito a ganhar.

Apesar de alguns estudos relativizarem as vantagens desta característica, vale destacar que a intenção é proporcionar uma alternativa mais sustentável. Os questionamentos levam em conta que a vantagem se dá quando os veículos estão totalmente ocupados, ou atuando em centros urbanos com muitos problemas de congestionamento. Nesses casos, a solução pode levar à diminuição do número de automóveis nas ruas, o que significa menor índice de poluição.

Outros fatores, como distâncias muito curtas, emissão de gases por combustão e a química presente nas baterias de alta performance podem comprometer o apelo ecológico dos projetos. De qualquer forma, esse não deixa de ser um importante argumento para o desenvolvimento dos projetos.

A questão energética é um dos objetivos centrais de vários protótipos, sobretudo aqueles que investem na propulsão elétrica. O desempenho destes modelos é superior ao dos motores à combustão, tanto em terra quanto no ar. O BlackFly, por exemplo, promete ter um consumo inferior a média dos carros elétricos comuns. No caso de modelos voadores, toda economia é valida, especialmente em relação a gastos de energia.