Embora nenhuma mulher tenha sido indicada ao prêmio de melhor direção no Globo de Ouro ou no Bafta (o Oscar do cinema britânico), as cineastas estão por trás de boa parte dos filmes mais esperados do ano. Grandes atrizes também protagonizam longas que devem render aplausos e reconhecimento na temporada de premiações em Hollywood.

CELINA selecionou dez filmes dirigidos, produzidos ou protagonizados por mulheres que você precisa assistir em 2020. Se não estão por trás das câmeras, elas estão no centro da narrativa, em histórias que inspiram, empolgam e emocionam.

E tem cinema para todos os gostos, de filmes aclamados pela crítica a grandes sucessos de público. Desde o remake do clássico da literatura “Mulherzinhas”, em “Adoráveis Mulheres”, de Greta Gerwin, passando pelo premiado em Cannes “Retrato de uma jovem em chamas”, até histórias de super-heroínas, com “Viúva Negra” e “Mulher-Maravilha 1984”.

Escrito em 1868 pela norte-americana Louisa May Alcott, o clássico “Mulherzinhas” (Little women) volta ao cinema em remake com roteiro e direção de Greta Gerwig. O filme narra a história das irmãs March, Jo (Saoirse Ronan), Beth (Eliza Scanlen), Meg (Emma Watson) e Amy (Florence Pugh), que vivem a virada da adolescência para a vida adulta enquanto os Estados Unidos atravessam a Guerra Civil.

Nesta nova leitura do clássico, Gerwig escolheu colocar a verve independente da heroína Jo March em primeiro plano. O elenco ainda conta com Meryl Streep e Laura Dern. O filme já está em cartaz nos cinemas do Brasil. A estreia aconteceu na última quinta-feira, dia 9.

Dirigido pela francesa Céline Sciamma, o filme conta a história de Marianne (Noémie Merlant), uma pintora contratada para fazer o retrato de casamento de Héloïse (Adèle Haenel), que deixou o convento para casar com um nobre italiano. A tarefa tem que ser cumprida em segredo porque Héloïse não aceita o casamento imposto pela mãe (Valeria Golino), e recusa-se a posar para pintores homens. Dali floresce um sentimento avassalador entre as duas.

Ambientado na França de 1770 e quase sem nenhum personagem masculino, o drama ganhou prêmio de melhor roteiro no Festival de Cannes e foi indicado a melhor filme estrangeiro no Globo de Ouro e no Bafta. O filme está em cartaz nos cinemas do Brasil desde o dia 9.

A atriz Renée Zellwegger dá vida à Judy Garland nesta emocionante cinebiografia sobre uma das maiores estrelas dos musicais da Era de Ouro de Hollywood. Sua atuação já lhe rendeu o Globo de Ouro de melhor atriz e pode garantir o seu segundo Oscar, desta vez como atriz principal.

O filme dirigido por Rupert Goold marca o retorno Zellwegger aos holofotes e faz um retrato da estrela do clássico imortal ‘O Mágico de Oz’ (1939) do seu auge até seu esquecimento. O filme chega aos cinemas no dia 16 de janeiro.

Protagonizado e produzido por Charlize Theron, o longa é baseado em uma história real e narra o escândalo envolvendo o ex-editor-chefe da Fox News, Roger Ailes (John Lithgow), após ser acusado de assédio sexual por grupo de mulheres que trabalhavam com ele.

O drama ainda reúne no elenco Nicole Kidman, que interpreta a jornalista Gretchen Carlson, e Margot Robbie, indicada ao Bafta como atriz coadjuvante pelo papel fictício da produtora Kayla Pospisil. O filme é dirigido por Jay Roach e chega aos cinemas no dia 30 de janeiro.

A atriz Margot Robbie também brilha no seu retorno às telonas como Arlequina. O filme, dirigido por Cathy Yan, narra o “projeto de emancipação” da antiheroína após a separação de Coringa. Desta vez, ela se junta a outras quatro mulheres — Caçadora (Mary Elizabeth Winstead), Canário Negro (Jurnee Smollett-Bell), Renee Montoya (Rosie Perez) e Cassandra Cain (Ella Jay Basco) — para salvar uma menina de um perigoso criminoso que assola Gotham. Aves de Rapina chega aos cinemas no dia 6 de fevereiro.

A versão live action do desenho animado lançado originalmente em1998 pela Disney é um dos filmes mais esperados de 2020. A adaptação, dirigida pela cineasta Niki Caro, traz a atriz chinesa Yifei Liu no papel da jovem Hua Mulan, que se disfarça de homem para lutar no lugar do pai doente. O filme entra em cartaz no dia 26 de março.

O documentário marca a estreia de Bárbara Paz como diretora e já levou dois troféus no Festival de Veneza: melhor documentário sobre cinema e Prêmio da Crítica Independente. O filme é uma crônica dos últimos dias do diretor Hector Babenco, brasileiro de origem argentina, morto em 2016, depois de décadas lutando contra o câncer. A estreia acontece em 9 de abril.

Um dos filmes mais esperados do ano, “Viúva Negra” inicia uma nova fase nas produções da Marvel. A popular personagem Natasha Romanoff,  interpretada por Scarlett Johansson, ganha seu próprio longa. Dirigido por Cate Shortland, o filme tem previsão de estreia para o dia 30 de abril.

A atriz Gal Gadot e a diretora Patty Jenkins voltam às telonas com “Mulher-Maravilha 1984”, após o primeiro filme baseado na heroína amazônica da DC Comics faturar US$ 820 milhões em todo o mundo em 2017. Como indica o título, neste segundo longa, a amazona aparece em um mundo mais próximo do contemporâneo, nos anos 80, cerca de 40 anos a frente do enredo da primeira trama. O filme chega aos cinemas no dia 4 de junho.

Em 2020 chega aos cinemas a cinebiografia da lendária rainha do soul, Aretha Franklin, que morreu em 2018, aos 76 anos. O filme será estrelado pela ganhadora do Oscar por “Dreamgirls”, a atriz e cantora Jennifer Hudson. O longa também marca a estreia da diretora Liels Tommy no cinema, após trabalhar em séries como Jessica Jones, Insecure e Queen Sugar. ‘Respect’ tem estreia prevista para agosto.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não
representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de
uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é
impróprio ou ilegal

© 1996 – 2020. Todos direitos reservados a Editora Globo S/A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Comentários