“Eu penso que Hollywood fez um desserviço com 3D ao introduzí-lo apenas em conversão, o que para mim é a forma errada. Nós devíamos fazer fotografias nativas porque se queremos ampliar a produção de conteúdo 3D, sendo que a grande parte é ao vivo ou produções de TV de baixo retorno, nós devemos ter ferramentas nativas.”

“A tecnologia de produção nativa basicamente ficou estagnada há três ou quatro anos. Nós precisamos trazê-la novamente. Minha previsão esperançosa é que iremos nos livrar da obsessão com 4K, de um ponto de vista de transmissão. Quanto isso se tornar absolutamente comum e 100% saturado, todo mundo passará a procurar pelo próximo grande avanço”, comentou o diretor.

Cameron não só é um entusiasta como também um dos principais responsáveis pela popularização de 3D: Avatar, de 2009, foi criado do zero com a tecnologia em mente e vendido como uma experiência cinematográfica única, o que em retorno trouxe uma das maiores bilheterias da história.

Zoe Saldana, Sam Worthington, Sigourney Weaver, Stephen Lang, CCH Pounder, Dileep Rao e Joel David Moore retornarão para as sequências de Avatar. Entre as novidades no elenco estão o ator neozelandês Cliff Curtis, de Fear the Walking Dead, será Tonowari, o líder dos Metkayina, um clã dos arrecifes. Kate Winslet e Oona Chaplin também estão no elenco. James Cameron dirigirá todos os longas.

Avatar 2 estreará em 18 de dezembro de 2020 e Avatar 3 chegará aos cinemas em 17 de dezembro de 2021. Com um curioso hiato de três anos, Avatar 4 só poderá ser visto em 20 de dezembro de 2024 e a última parte da franquia, Avatar 5, chega em 19 de dezembro de 2025.

Comentários