RIO – A fotografia de Tuane Eggers nasceu entre as flores do quintal de casa, em Lajeado (RS), e permaneceu nesse lugar íntimo e bucólico. Autodidata, ela ainda tateava com a câmera quando foi chamada pelo diretor Esmir Filho para viver uma garota enigmática em “Os famosos e os duendes da morte” (2010), aos 18 anos. Suas primeiras fotos acabaram incorporadas à trama. Mais tarde, Selton Mello a convocou para produzir as imagens captadas por Luna (Bruna Linzmeyer) em “O filme da minha vida” (2017). Hoje, ela reinventa o still de cinema (o registro das filmagens) com feição autoral.

Comentários