Categorias
Notícias

Concurso do IBGE para o Censo 2020 oferece mais de 208 mil vagas; veja distribuição por estado

As mais de 208 mil vagas temporárias abertas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para a realização do Censo Demográfico 2020 estão distribuídas em todos os municípios do país.

180.557 vagas para a função de recenseador, distribuídas em 5.569 municípios;22.676 vagas para a função de agente censitário supervisor e 5.462 vagas para a função de agente censitário municipal, distribuídas em 4.612 municípios.

Esses profissionais irão trabalhar na coleta de informações do Censo 2020, entrevistando os moradores de todos domicílios brasileiros. O quadro com a distribuição das vagas oferecidas em cada uma das cidades pode ser consultado no site do IBGE.

Nos municípios maiores e em áreas remotas, as vagas são oferecidas por áreas de trabalho específicas. Essas áreas podem abranger bairros, favelas, localidades de difícil acesso, incluindo até aldeias indígenas e comunidades quilombolas.

"O ideal é que os recenseadores aprovados no processo seletivo sejam moradores das próprias localidades onde irão trabalhar, para economia de custos com deslocamentos e maior produtividade nas visitas domiciliares", orienta o IBGE.

Para esta função, a remuneração será por produção, de acordo com o número de domicílios visitados e questionários respondidos. Os profissionais contratados temporariamente também terão direito a férias e 13º salários proporcionais. Veja aqui o edital.

O coordenador de Recursos Humanos do IBGE, Bruno Malheiros, explicou que a remuneração do recenseador é variável e não há um piso nem um teto de quanto ele poderá receber. "Quanto mais entrevista ele realiza, quanto mais coleta ele faz, mais ele recebe", explicou Malheiros.

O IBGE disponibilizará em seu site um simulador onde os candidatos podem verificar a remuneração a ser obtida, com base nos valores pagos por setor censitário nas diferentes localidades do país.

No município do Rio de Janeiro, trabalhando 25 horais semanais em área urbana, a remuneração seria em torno de R$ 428,98 por semana, ou R$ 1.715,92 por mês, segundo o simulador do IBGE. Na área rural, esses valores saltariam, respectivamente, para R$ 472,74 e R$ 1.890,96. Já se o recenseador dedicar 40 horas semanais ao trabalho, a remuneração mensal pode chegar a R$ 2.783,28 na área urbana e R$ 3.067,16 na área rural.

O segundo edital prevê o preenchimento de 5.462 vagas para a função de agente censitário municipal e 22.676 vagas para a função de agente censitário supervisor. Para estas vagas, é exigido ensino médio completo. Veja aqui o edital.

Os melhores colocados em cada município ocuparão a vaga de agente censitário municipal, que será o responsável pela coordenação da coleta naquela cidade. Os demais agentes censitários supervisionam as equipes de recenseadores. As remunerações dessas duas funções são de R$ 2.100 e R$ 1.700, respectivamente.

As provas serão realizadas em todos os municípios onde houver vagas. O edital com a relação de todos os locais de provas será divulgado no dia 8 de maio para agentes censitários (ACM e ACS) e em 18 de maio para recenseadores.

Para os candidatos a recenseador, a prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório, terá 10 questões de Língua Portuguesa, 10 questões de Matemática, 5 questões sobre Ética no Serviço Público e 25 questões de Conhecimentos Técnicos.

Para os candidatos a agentes censitários, serão 10 questões de Língua Portuguesa, 10 questões de Raciocínio Lógico Quantitativo, 5 questões de Ética no Serviço Público, 15 questões de Noções de Administração / Situações Gerenciais e 20 questões de Conhecimentos Técnicos.

Comentários