Baseado em “Kardec: A Biografia” do escritor Marcel Souto Maior, “Kardec: A História por Trás do Nome” conta a vida e obra de Hippolyte Léon Denizard Rivail, interpretado por Leonardo Medeiros, que ficaria conhecido como o pai do Espiritismo. Pedagogo, professor, escritor e tradutor francês, Léon era um homem racional, amante da ciência tanto quanto das letras.

Por esses e outros motivos, foi com escárnio e uma dose saudável de ceticismo que o professor encarou os primeiros sinais de um novo movimento que começava a se espalhar pela Europa no século 19: as chamadas “mesas flutuantes”. Tratava-se de um fenômeno supostamente causado por forças sobrenaturais, na tentativa de fazer contato com os vivos. Além das mesas, havia também médiuns que durante as sessões seriam capazes de receber diretamente essas mensagens, desde espíritos de pessoas desconhecidas até personalidades como Joana D’Arc.

Porém, após presenciar um desses fenômenos em primeira mão, até mesmo Léon, do alto do seu pedestal científico, passou a considerar que talvez houvesse naquilo um fundo de verdade. Aprofundando-se cada vez mais nas sessões e com a ajuda de diversas médiuns francesas e de outros países, conseguiu desenvolver um estudo abrangente que tinha como objetivo medir e provar a consistência e o teor das mensagens transmitidas pelas entidades espirituais. O resultado desse estudo culminou em seu primeiro livro sobre o tema intitulado “O Livro dos Espíritos”, assinado sob o pseudônimo de Allan Kardec.

O volume causou furor e a indignação da sociedade da época, que, incitada pela Igreja Católica, deu início à uma “caça às bruxas” perseguindo os adeptos da união de filosofia e religião que ficaria conhecida como Espiritismo, tendo como base um conjunto de 5 livros “codificados” posteriormente por Kardec. O diretor Wagner de Assis, já conhecido por seu interesse nos temas espirituais, dirigiu novelas e outros longas como “Nosso Lar” (2010) sobre a vida de Chico Xavier, e “A Menina Índigo” (2016). Segundo ele, o filme não é um drama, e sim uma biografia cinematográfica da vida de Kardec.

Vemos ainda a relação do escritor com sua dedicada esposa Amélie (Sandra Corveloni), e a forma inesperada como o Espiritismo transformou a vida de ambos para sempre. O longa conta também com Charles Fricks, Genézio de Barros e Guilherme Piva no elenco. Ao final, ficamos com a sensação de conhecer melhor o homem que sacrificou sua carreira, o respeito dos seus colegas de academia, sofreu perseguições por parte da Igreja e da imprensa, tudo para levar ao mundo a mensagem de amor e caridade ao próximo. Os adeptos da sua filosofia sem dúvida agradecem.