O final de jogo entre Cruzeiro e Atlético-MG foi marcado por muita confusão nas arquibancadas do Mineirão, principalmente na parte destinada à torcida do Galo. Torcedores alvinegros, localizados na parte inferior do estádio, invadiram os camarotes destinados aos cruzeirenses (confira no vídeo abaixo).

A Minas Arena, empresa responsável pela administração do estádio, informou que houve déficit de seguranças no clássico – "por diversos fatores", segundo assessoria. Um destes motivos seria a realização do Enem. Foram escalados 580 seguranças, mas não foi revelado o número de ausentes – apenas informaram que foi um montante "significativo".

Outros atleticanos, localizados na parte superior do estádio, arremessavam cadeiras onde estavam localizados os torcedores do Cruzeiro e seguranças privados do Mineirão. A Polícia Militar agiu lançando bombas e gás de pimenta para apartar a briga (veja abaixo).

– Muito feio isso, as duas grandes equipes do estado e quando tem briga é chato, é ruim para as duas partes. Família que vem no estádio comparecer e acaba presenciando essas coisas feias no futebol. Espero que acabe um dia, que o torcedor se comporte como gente.

"O povo brasileiro tem que ter consciência. Aqui, no Brasil, frequentemente quando tem clássico, acontece isso. Somos seres humanos, um tem que respeitar o outro independente da rivalidade."

O atacante Pedro Rocha, do Cruzeiro, revelou preocupação, também, pelo fato de ter familiares presentes em um dos camarotes do estádio. E que a filha dele passou mal após inalar gás de pimenta.

– Se for para vir e polemizar o jogo, para fazer o que a torcida do Atlético fez, é melhor não vir. Sou a favor de ter o clássico com duas torcidas em igualdade, porque para mim é bonito para o futebol. Mas, para acontecer isso que aconteceu ali, é ruim para todo mundo, principalmente para nós, que estamos ali para dar o show. Estou vendo muita gente reclamando do gás de pimenta, e agora eu estou sentindo também. Que a polícia e os órgãos responsáveis punam os responsáveis por tudo isso.

A Minas Arena não se pronunciou a respeito da confusão no Mineirão. A empresa responsável pela administração do estádio deve se pronunciar na segunda-feira, após contabilizar o prejuízo – cadeiras e vidros da área de camarotes foram quebrados (veja abaixo). A Polícia Militar vai divulgar um balanço sobre o tumulto ainda neste domingo – o horário não foi informado.

"O Clube Atlético Mineiro repudia veementemente qualquer ato de violência, incluindo racismo, injúria ou ofensa moral, seja no estádio ou fora dele. As diversas imagens que circulam em redes sociais são lamentáveis e devem ser objeto de rigorosa apuração. O Clube se coloca à disposição das autoridades policiais, pede o máximo rigor e urgência nas investigações sobre os fatos ocorridos hoje no Mineirão."

O Clube Atlético Mineiro repudia veementemente qualquer ato de violência, incluindo racismo, injúria ou ofensa moral, seja no estádio ou fora dele. As diversas imagens que circulam em redes sociais são lamentáveis e devem ser objeto de rigorosa apuração. pic.twitter.com/Pg5wY3nLCf

O Clube informa que tomou todas as medidas exigidas de acordo com o Estatuto do Torcedor. Durante a semana, foram feitas reuniões de praxe com representantes de todos os órgãos competentes para garantir a segurança dos torcedores que fossem ao Mineirão e a eles foram repassados todos os cenários para que fosse elaborado o melhor plano de segurança possível.

Cabe ressaltar que o efetivo de policiais envolvidos no evento é determinado pela própria corporação, assim como em relação aos seguranças ligados à Minas Arena, concessionária responsável pelo estádio. No caso dos seguranças, a Minas Arena escolhe o número de profissionais no seu efetivo.

É importante frisar, também, que a segurança no Mineirão e no entorno do estádio são de responsabilidade da Polícia Militar e da equipe de seguranças da Minas Arena, cabendo ao Cruzeiro o pagamento dos custos desta operação.

A confusão se iniciou entre seguranças, policiais e torcedores atleticanos no espaço do setor Roxo Superior destinado à torcida do Clube Atlético Mineiro, nos minutos finais da partida, próximo à tribuna de imprensa.

Minutos depois, a confusão se estendeu para o setor Roxo Inferior, em espaço destinado também para torcedores do Clube Atlético Mineiro, onde um número considerável destes invadiu outros setores destinados a torcedores cruzeirenses, gerando momentos de tensão e apreensão.

O Cruzeiro informa que está providenciando o levantamento de todos os boletins de ocorrências e de imagens de circuito interno de segurança do estádio para que, a partir da identificação dos torcedores envolvidos, possa tomar as medidas cabíveis."

Facebook Comments