É o fato ou acontecimento de interesse jornalístico. Pode ser uma informação nova ou recente. Também diz respeito a uma novidade de uma situação já conhecida.

Texto predominantemente opinativo. Expressa a visão do autor, mas não necessariamente a opinião do jornal. Pode ser escrito por jornalistas ou especialistas de áreas diversas.

É a interpretação da notícia, levando em consideração informações que vão além dos fatos narrados. Faz uso de dados, traz desdobramentos e projeções de cenário, assim como contextos passados.

Reportagem de fôlego, que aborda, de forma aprofundada, vários aspectos e desdobramentos de um determinado assunto. Traz dados, estatísticas, contexto histórico, além de histórias de personagens que são afetados ou têm relação direta com o tema abordado.

Abordagem sobre determinado assunto, em que o tema é apresentado em formato de perguntas e respostas. Outra forma de publicar a entrevista é por meio de tópicos, com a resposta do entrevistado reproduzida entre aspas.

Texto com análise detalhada e de caráter opinativo a respeito de produtos, serviços e produções artísticas, nas mais diversas áreas, como literatura, música, cinema e artes visuais.

A cidade de Las Vegas, nos EUA, virou ao longo da semana, a Meca da tecnologia. Mais de 3 mil empresas participaram do Consumer Electronics Show (CES 2020), encerrada nesta sexta-feira (10), apresentando desde dispositivos para fazer sua casa ficar inteligente a travesseiros antirronco e brinquedinhos eróticos high-tech. Alguns itens são conceito e talvez nem cheguem ao mercado. Mas há muita coisa com potencial de deixar sua vida mais fácil ou mais divertida.

Quando o assunto é tecnologia de morar a LG apresentou uma porta inteligente que permite ao dono entrar em casa usando reconhecimento biométrico e ainda tem um dispositivo que facilita a entrega de alimentos e encomendas por meio de um QR Code, mesmo que o morador esteja ausente. A empresa especializada em banheiros Kohler apresentou um chuveiro com alto-falante e microfone que “conversa” com o usuário. Pode pular uma música ou tocar uma estação de rádio por comando de voz. Outra novidade promissora foi o travesseiro Motion Pillow, da 10minds, desenvolvido para quem tem problemas com ronco. Custa US$ 389 nos EUA.  O dispositivo infla ao som do ronco, até que a cabeça esteja numa posição que melhora o fluxo de ar e interrompe os ruídos. Quando o tema é sustentabilidade, a Zero Mass Water apresentou um painel que usa energia solar para extrair a água que existe no ar. O dispositivo ainda adiciona minerais que melhoram o sabor e qualidade da água extraída. Cada painel é vendido por cerca de US$ 2 mil e a maior instalação desse tipo se encontra atualmente em Dubai.

Foram apresentadas soluções tanto para facilitar como para atrapalhar esse tipo de tecnologia, dependendo do uso. Na primeira vertente, a Cyberlink mostrou o FaceMe, sistema que infere idade, gênero e estado emocional das pessoas para apresentar-lhes publicidade personalizada. Já a empresa D-ID vai na direção oposta. Seu sistema faz pequenas mudanças nas fotos compartilhadas em redes sociais exatamente para impedir que computadores reconheçam as pessoas.

A Samsung levou para a feira um robô em forma de esfera chamado Ballie, que usa câmeras e inteligência artificial para ajudar na segurança de casa e no acionamento de dispositivos eletrônicos. Ativado por comento de voz, ganhou apelidado de BB8, o droid de Rey em Star Wars.

A empresa Picnic apresentou um robô para restaurantes que pode preparar até 300 pizzas por hora. Há ainda robôs de entretenimento, como o da chinesa Elephant Robotics. O MarsCat é gato robótico que brinca, reconhece a voz do dono e interage com gatos reais. Gatos também são os robôs Bocco, da Yukai, que revelam quando uma pessoa chegou em casa, o clima e se a porta está fechada corretamente.

Nesse setor, a Hydrofoil apresentou uma bicicleta eléctrica que anda sobre a água. Já o Dolphin1, da OceanAlpha, é um salva-vidas controlado remotamente, que permite resgatar pessoas no mar.

Quando o assunto é carro, a Fisker apresentou um modelo elétrico com teto coberto por painel solar. A Mercedes levou um carro-conceito com motores na frente e atrás, que pode se locomover nas duas direções. Montadoras e empresas de tecnologia estão empenhadas em aproveitar ao máximo o tempo que as pessoas passam dentro do carro para garantir fontes de receita mais contínuas – hoje normalmente essas empresas demoram anos para a decisão de compra de um cliente virar realidade. Streaming de vídeo, atualizações no funcionamento dos veículos ou usar os painéis de bordo para vendas online são algumas das opções.

Dentro dessa área, a Tesla é pioneira no modelo de cobrança por atualizações do sistema. Custa US$ 6 mil, por exemplo, a ativação da opção completa de direção autônoma.

Os amantes dos jogos eletrônicos ganharam novos objetos de desejo. A Razer, conhecida por fabricar mouses e teclados feitos para gamers, agora tem seu primeiro desktop, que em vez de placa-mãe usa um módulo Intel NUC Element e tem metade do tamanho de um PC gamer tradicional. Já a Lenovo levou pra CES um notebook com tela OLED dobrável que deve estar disponível nos EUA ainda este ano, por US$ 2.500,00.

Antes um tema proibido na CES, a tecnologia para o sexo chamou a atenção na feira. A Lora DiCarlo levou três produtos: Baci (dispositivo que estimula a sensação e movimentos dos lábios e língua humana), Onda (criado para replicar os movimentos dos dedos humanos) e Osé (que parece com um vibrador, mas não vibra e usa biomimética para imitar um parceiro humano e proporcionar orgasmos múltiplos às mulheres).

A startap Crave levou um colar que vira vibrador (Vesper Vibrator Necklace) e os Touch and Tease Rings, anéis que também têm esse uso múltiplo. A britânica MysteryVibe levou, entre outros produtos, o Crescendo, vibrador consistente mas maleável que pode ser moldado e torcido em qualquer formato, se adaptando às características de cada usuário. E a Morari criou um adesivo que age como retardante sexual. Funciona com conexão bluetooth e é aplicado no períneo. Ainda não está disponível comercialmente, mas a ideia é que possa ser usado tanto para retardar como para acelerar o orgasmo.

Comentários