No aniversário de 23 anos do primeiro Resident Evil, comemorado em 22 de março, o usuário AestheticGamer publicou uma enorme thread no Twitter repleta de informações e curiosidades do desenvolvimento dos jogos mais recentes da franquia.

AestheticGamer também é conhecido na comunidade como Dusk Golem, do fórum ResetEra, e foi responsável por vazar algumas informações acuradas sobre títulos da série no passado.

Segundo ele, todas as informações de sua thread são verdadeiras. Dentre os inúmeros tweets, uma das histórias que mais chama a atenção é sobre o envolvimento de um ex-funcionário da Konami com a Capcom.

So over the next 7 days leading up to Resident Evil’s 23rd anniversary, I’ll post some small bullet points about 7 scrapped Resident Evil game versions that were constructed for Resident Evil Revelations 2, Resident Evil 7, and Resident Evil REmake 2. This will only be info, only

Dusk Golem conta que Jordan Amaro, que trabalhou com Metal Gear Solid V e em P.T.; se juntou à Capcom e exigiu ser o diretor de Resident Evil 8, desenvolvendo um pitch para o próximo jogo numerado da série.

Em sua ideia, os personagens usariam objetos do cenário para se defender contra as armas biológicas ao invés de armas de fogo e os executivos da Capcom gostaram da demonstração, mas decidiram usar os elementos em uma DLC de Resident Evil 7: Biohazard ao invés de desenvolver um novo game.

Segundo o insider, os preços do Season Pass de RE7 subiram porque essa ideia foi aprovada e a DLC “End of Zoe” passou a fazer parte do pacote. Amaro era quem estava dirigindo a expansão, até sair da Capcom e se juntar à Nintendo no início de 2017.

DAY 6: Not a Hero & End of Zoe DLCs Scrapped VersionsWhen Resident Evil 7 was first announced at E3, End of Zoe didn’t even exist as a DLC piece yet. Jordan Amaro joined Capcom from Kojima Productions after being part of the team that had worked on MGSV & P.T. at Konami. He

O informante também conta que a DLC Not a Hero de RE7 era bem diferente em sua primeira versão porque uma outra equipe estava cuidando do desenvolvimento, mas a Capcom não gostou dos resultados e acabou refazendo ela mesma do zero.

Nessa versão, havia uma cutscene de introdução mostrando como Chris Redfield se envolveu com a (Blue) Umbrella e ele, inclusive, usaria esteróides para recuperar sua energia, além de coletar “Umbrella Points” para comprar armas e munição entre as seções da expansão.

O chefão da DLC também seria outro: Clancy, o personagem que os jogadores controlam na demo Beginning Hour. Por fim, também há informações sobre a produção de Resident Evil 2 (2019).

As curiosidades incluem uma sessão jogável maior de Leon e Claire em Raccoon. O segmento na cidade seria de 40 a 60 minutos, mas isso foi cortado porque os desenvolvedores acreditavam que não estava “divertido” de jogar.

Haveria também mais inimigos, dentre eles uma criatura que estaria transitando entre ser um Zumbi e um Licker – é possível ver uma artwork desse monstro na galeria de artes do jogo, ao completar algumas das conquistas internas.

Vale lembrar que, ainda que algumas informações que Dusk Golem já divulgou no passado tenham sido acuradas, nada do que ele revelou sobre a produção dos games foi confirmado pela Capcom. Resta aguardar o dia em que a empresa irá falar a respeito e confirmar ou desmentir as histórias.

Comentários

Você não precisa sofrer pra fazer dieta.

entre para o Desafio 19 dias