De onde veio o fuso horário? Bom, antes do final do século XIX, a marcação do tempo era um fenômeno puramente local. Cada cidade ajustava seus relógios para o meio-dia, quando o sol atingia seu zênite a cada dia. Um relojoeiro ou relógio municipal seria a hora “oficial” e os cidadãos ajustariam seus relógios de bolso ou parede com a hora da cidade.

Cidadãos empreendedores ofereceriam seus serviços como ajustadores de relógios móveis, carregando um relógio com a hora exata para acertar os relógios nas casas dos clientes semanalmente. Viajar entre as cidades significava ter que trocar o relógio de bolso na chegada.

Entretanto, uma vez que as ferrovias começaram a operar e transportar pessoas rapidamente por grandes distâncias, o tempo se tornou muito mais crítico.

Nos primeiros anos das ferrovias, os horários eram muito confusos porque cada parada era baseada em um horário local diferente. A padronização do tempo era essencial para a operação eficiente das ferrovias.

Padronização de fusos horários

Em 1878, o canadense Sir Sandford Fleming propôs o sistema de fusos horários mundiais que usamos atualmente. Ele recomendou que o mundo fosse dividido em vinte e quatro fusos, cada um com uma distância de 15 graus de longitude.

Como a Terra gira uma vez a cada 24 horas e há 360 graus de longitude, a cada hora a Terra gira um vigésimo quarto de um círculo ou 15 graus de longitude. Os fusos horários de Sir Fleming foram anunciados como uma solução brilhante para um problema caótico em todo o mundo.

As empresas ferroviárias dos Estados Unidos começaram a utilizar os fusos horários padrão de Fleming em 18 de novembro de 1883. Em 1884, uma Conferência Internacional de Primeiros Meridianos foi realizada em Washington DC para padronizar o horário e selecionar o meridiano principal.

Leia também  confira agora os gatos famosos do momento

A conferência selecionou a longitude de Greenwich, Inglaterra como zero grau de longitude e estabeleceu os 24 fusos horários com base no meridiano principal. Embora os fusos horários tenham sido estabelecidos, nem todos os países mudaram imediatamente.

Embora a maioria dos estados dos EUA tenha começado a aderir aos fusos horários do Pacífico, Montanha, Central e Leste em 1895, o Congresso não tornou o uso desses fusos horários obrigatório até a Lei do Tempo Padrão de 1918.

Como funciona em diferentes regiões do mundo

Hoje, muitos países operam com variações dos fusos horários propostas por Sir Fleming. Toda a China (que deve abranger cinco fusos horários) usa um único fuso horário – oito horas antes do Tempo Universal Coordenado (conhecido pela abreviatura UTC, com base no fuso horário passando por Greenwich a 0 graus de longitude).

A Austrália usa três fusos horários – seu fuso horário central está meia hora à frente de seu fuso horário designado. Vários países do Oriente Médio e do Sul da Ásia também utilizam fusos horários de meia hora.

Como os fusos horários são baseados em segmentos de longitude e linhas de longitude estreitas nos pólos, os cientistas que trabalham nos pólos norte e sul simplesmente usam o horário UTC. Caso contrário, a Antártica seria dividida em 24 fusos horários muito estreitos!

Os fusos horários dos Estados Unidos são padronizados pelo Congresso e, embora as linhas tenham sido traçadas para evitar áreas povoadas, às vezes elas foram mudadas para evitar complicações. Existem nove fusos horários nos Estados Unidos e seus territórios, que incluem Leste, Central, Montanha, Pacífico, Alasca, Havaí-Aleutas, Samoa, Ilha Wake e Guam.

Com o crescimento da Internet e da comunicação e comércio globais, alguns têm defendido um novo sistema de tempo mundial.

Leia também  O menor réptil do mundo cabe na ponta dos dedos

E então, curtiu conhecer de onde vieram os fusos horários?

Não deixe de ler também – 8 fatos interessantes sobre a geografia do mundo

Comentários