Em sua segunda disputa do Brasileiro Feminino Série A2, o Atlético tenta chegar à elite do futebol nacional pela primeira vez. O time caiu de maneira precoce no ano passado, ainda na primeira fase, mas chega para 2020 com uma reformulação não só no elenco, como em todo o projeto. O time estreia neste sábado (14), contra o Vila Nova-ES, às 14h30, na Arena Independência.

Quatro equipes garantem o acesso para a Série A1, elite do futebol feminino nacional, por meio da Série A2. O Atlético está no grupo E, com Real Brasília-DF, Goiás-GO, Vila Nova-ES, Botafogo-RJ e Vasco da Gama-RJ. Todos se enfrentam apenas uma vez na primeira fase, com disputa de oitavas quartas, semi e final em jogos de ida e volta.

O projeto feminino do Atlético surgiu no ano passado, fruto de uma parceria do clube com o Prointer, time de futebol amador de Belo Horizonte. O Galo abraçou todo o elenco e a comissão técnica, conquistando a Copa BH de maneira invicta e de forma arrasadora no primeiro semestre. A competição, porém, não tinha o nível que o Galo Feminino enfrentaria logo à frente.

Na Série A2 do ano passado, o Galo ficou na quinta posição de seu grupo, penúltimo colocado, com apenas um ponto conquistado. Foram quatro derrotas e um empate nas cinco partidas que disputou, tendo marcado apenas um gol e levado 12. A campanha, com queda na primeira fase, mostrou como o time ainda tinha um perfil amador.

Já para o segundo semestre, o Atlético mexeu um pouco no elenco, entrando bem no Campeonato Mineiro. A equipe acabou sendo derrotada pelo América na semifinal, encerrando a temporada 2019. Começou, então, uma reestruturação do projeto para 2020, como aponta Nina de Abreu, coordenadora do Galo Feminino.

“A mudança de postura era prevista. A temporada com um projeto social serviu para entrarmos no clube com a categoria e ocupar alguns espaços. Estamos indo bem [na preparação para 2020], na minha avaliação. A última entrega foi levar o jogo para o Independência. Com um elenco mais competitivo, todas as áreas se viram também mais cobradas”, comenta a coordenadora.

O Atlético manteve 17 atletas no elenco para esta temporada, tendo iniciado já em 2019 um processo de reestruturação do grupo. O time tem jogadoras remanescentes em todas as posições, tendo igualmente se movimentado no mercado para suprir todos os setores.

Chegaram ao clube as laterais Ilana Mendonça e Leila Silva, a zagueira Tati Antônio, a volante Nathália Rodrigues, a meia Flávia Pissaia e as atacantes Gabizinha, Joyce Amara, Raquel Rabello, Lorena Custódio, Milena de Paula e Dani Batista. Outra novidade foi a ascensão da volante Emily, um dos destaques da base do clube em 2019.

O grupo treinou no Independência nessa quinta (12), palco da partida. Será a primeira vez que as atleticanas vão jogar no Horto, um dos maiores palcos do futebol do estado.

“É uma alegria muito grande treinar no Independência. Para nós, é uma luta mandar jogo aqui. Estamos muito focadas e concentradas para a competição. O mês que tivemos foi muito importante e chegamos com muita força”, comenta Ilana, reforço para 2020.

Goleiras: Amanda, Renata e TaluaneLaterais: Rayssa, Isabella, Ilana Mendonça e Leila SilvaZagueiras: Rayane, Vitória Calhau e Tati AntônioVolantes: Jennifer, Karol, Bruna Emília e Nathália RodriguesMeias: Lorraine, Duda, Thalita, Ligyamara, Aline Guedes e Flávia PissaiaAtacantes: Ravilla, Isadora, Gabizinha, Joyce Amara, Raquel Rabello, Lorena Custódio, Milena de Paula e Dani Batista

Com a demissão de Sidney Lima no ano passado, o Galo Feminino anunciou Hoffmann Túlio para a temporada. O treinador foi responsável pelo acesso do Cruzeiro em 2019, chegando até a decisão. O treinador conhece todas as fases da competição nacional, tendo ainda sido campeão mineiro com o time celeste e com o América.

“Acredito que tenho contribuído desde o primeiro dia buscando boas contratações para o clube. Isso é importante, assim como ter experiência em todas as fases da competição. Competições de tiro curto precisam de um trabalho especial. Não teremos tempo pra errar. Temos um time competitivo. Acredito que temos chances de passar para o mata-mata e brigar para chegar às semifinais”, projeta Hoffmann.

O Atlético divulgou, inicialmente, que levaria a disputa da Série A2 para o Estádio das Alterosas, no Sesc Venda Nova. Com a indisponibilidade do local, porém, o clube anunciou a estreia para a Arena Independência. Os próximos duelos em casa ainda não foram confirmados, com possibilidades para os dois locais.

Luiz, Câmera, Ação apresenta as estreias da semana dos cinemas de Belo Horizonte e região metropolitana. Veja a programação completa de 14/03/2019 a 20/03/2019 em www.otempo.com.br

Comentários