'Topíssima': saiba curiosidades das gravações do acidente de Sophia e Antonio

Sophia (Camila Rodrigues) e Antonio (Felipe Cunha) vão sofrer um acidente de helicóptero na novela “Topíssima”, contudo escaparão com vida. As cenas passam a ir ao ar no capítulo desta sexta-feira (11) na trama da RecordTV. A quase tragédia envolvendo a empresária e o taxista ocorre quando a mocinha está sendo levada para São Paulo por ordem da mãe, Lara (Cristiana Oliveira), para ser internada em um hospício. Na queda da aeronave, o piloto acaba perdendo a vida. Já Sophia e Antonio se desesperam ao perceberem que podem não conseguir chamar atenção da equipe de resgate e ainda são surpreendidos com uma onça.

As gravações se estenderam por nove dias, tanto durante o dia como à noite, e ocorreram em cinco cenários diferentes. “Tivemos um dia para filmar o voo de helicóptero com o elenco no céu da Barra da Tijuca. Outro dia foi gravada a simulação da queda da aeronave e as primeiras cenas após a queda no Recreio dos Bandeirantes e no Parque da Pedra Branca”, explicou Rudi Lageman, um dos diretores do folhetim. “Tivemos outro dia para tomadas aéreas e mais dois dias para as cenas diurnas deles acampados e andando pela mata. Outro dia foi para as cenas noturnas em Vargem Grande. Tivemos mais dois dias para as filmagens da travessia do rio caudaloso e para o resgate que aconteceram em Casimiro de Abreu (cidade do interior do Rio de Janeiro). O último dia foi para a gravação da chegada deles ao Rio que ocorreram nos nossos estúdios”, acrescentou.

Para reproduzirem ferimentos em seus personagens, Camila e Felipe – atualmente em férias pelos EUA com a namorada, Rayanne Morais -, ficaram quase 40 minutos. “Fizemos as escoriações sofridas pelos personagens na queda do helicóptero. Esses ferimentos foram feitos com material importado diluído a base de álcool para que não saíssem nos momentos em que eles entravam na água”, detalhou Adilson Vilela, membro da equipe de maquiagem de efeitos. Conforme os capítulos forem avançando, os atores vão aparecer com menos maquiagem. Já em algumas cenas, os protagonistas deram lugar a dublês, profissional dispensado por João Vithor Oliveira em sequência de “Malhação”. “Toda a sequência é cheia de pequenos e grandes eventos, o que exige sempre a presença de dublês: na explosão do helicóptero, na caça de uma cobra, no enfrentamento das quedas da água do rio encachoeirado. Há um mínimo de efeitos gráficos. A maioria das cenas é de gravação ao vivo”, disse Rudi.

Leia também  Baratas estão se tornando invencíveis a inseticidas, entenda por quê

Nessas gravações, a equipe da novela de Cristianne Fridman construiu uma réplica de helicóptero modelo Esquilo AS350 que acomoda cinco passageiros além do piloto. “Para tal, fiz um projeto com escalas reais. A construção foi feita na nossa fábrica de cenários. Ao todo foram 30 dias de trabalho envolvendo serralheiros, marceneiros, aderecistas, forradores, pintores de arte e eletricistas”, disse Renato Chaves, do departamento de arte da trama, cujo último capítulo deverá ir ao ar em dezembro. Até lá, o público verá novos conflitos entre a filha de Lara e o filho de Mariinha (Silvia Pfeifer). “É de fato a primeira vez na história onde o Antonio e a Sophia experimentam a convivência e são obrigados a aceitar as limitações e defeitos um do outro para superarem esta floresta e sair de lá vivos. Neste momento o sininho do amor bate novamente. Embora tenham passado todas essas dificuldades, mesmo dentro desse turbilhão, eles percebem que ainda existe amor”, adiantou Felipe.