Já são mais de 100 páginas sobre vinhos nestes dois anos aqui no Jornal de Uberaba e sempre encontramos novidades sobre este peculiar mundo. Aliás, acho que não tem fim é assunto inesgotável!

Por outro lado, meus fiéis leitores, (em encontros casuais), nos fazem bastantes   perguntas, ficando claro a fascinação pelo vinho e a grande curiosidade sobre o tema. E como já disse por aqui algumas vezes, não sou Sommelier e nem Enólogo (já expliquei a diferença), mas sim um grande apaixonado por vinho e um modesto pesquisador: sou um Enófilo! E hoje, mais uma vez, elenquei aqui algumas curiosidades, fruto de pesquisa em livros e internet, que agora quero dividir com o caro leitor(a). Vamos a estas curiosidades, uma boa leitura e um bom final de semana! 

Um copo de 12 cl de vinho branco contém 100 calorias. Se o copo for de vinho tinto, acrescente-se 10 calorias a mais. Isso quer dizer que é a quantidade de vinho que vai tomar é quem vai definir se engorda ou não. Portanto a decisão de quanto beber é sua!

Os sulfitos são substâncias que evitam o desenvolvimento de microrganismos e ajudam a manter a cor original dos alimentos. Ou seja, é um composto químico que ocorre naturalmente em níveis baixos durante a fermentação do vinho. Mas eles podem ser adicionados pelo produtor durante o processo de fermentação, que além de manter a cor, protege e preservar os vinhos.

Tudo depende do vinho em questão e das condições da sua adega. O vinho é um dos poucos alimentos que pode melhorar com a idade, mas não se aplica a todos os vinhos. Pois cada vinho contém sua própria composição especial de ácidos, açúcares, fenóis e taninos, o que vai determinar como um vinho evolui com o tempo.

Com certeza já ouviu falar em propriedades organolépticas (já falei por aqui) que são às características dos materiais que podem ser percebidas pelos sentidos humanos, como a cor, o brilho, a luz, o odor, a textura, o som e o sabor. E no vinho estas propriedades (especialmente o Olfato) fazem mais sentido, e no ato de cheirar o vinho, podemos verificar a qualidade do mesmo e encontrar todas as nuances de seu perfume. O olfato oferece (especialmente se você deixar o vinho abrir por algum tempo) uma prévia do que você provará, não apenas nesse momento, mas também se você deixar o vinho descansar por um tempo e se abrir. Se você quer entender a diferença de cheirar o vinho, tente segurar o nariz e beber um pouco de vinho. Então abra o nariz e beba novamente …

Com moderação, a resposta é sim. Há muitas evidências científicas que apontam nessa direção. O vinho (principalmente o vinho tinto) parece reduzir o risco de doenças cardíacas e retarda a progressão de doenças como a doença de Alzheimer ou a doença de Parkinson. Por consumo moderado, queremos dizer 8 a 12 cl por dia … embora isso possa variar de pessoa para pessoa.

Só em Bordeaux (por exemplo), você pode encontrar de tudo: vinhos caros e excelentes … baratos e terríveis, mas também baratos e bons. Há nada menos que 13.000 produtores em Bordeaux, um número que fala por si só da diversidade!

De origem vegetal e encontrada nas sementes e caules das uvas, e também na madeira de carvalho dos barris. Taninos também são muito encontrados nos chás, especialmente nos pretos, cuja folha é tanino puro. Os taninos são importantes para os vinhos (principalmente tintos), pois ajudam os vinhos no envelhecimento prolongado. Os vinhos de qualidade vêem o nível de curtimento diminuir à medida que envelhecem e, no processo, suavizam e desenvolvem caráter. Em alguns casos, o vinho apresenta taninos em excesso e adstringentes, que se traduzem em vinhos pobres.

Normalmente são necessários 1 kg de fruta para obter uma garrafa de 75 cl. Daí dá para se avaliar quanto hectares de uva precisam ser cultivadas por uma empresa Concha Y Toro ( por exemplo) , para a produção dos famosos vinhos Casilleros Del Diablo, que cuja produção anual são de 60 milhões de garrafas!

Austrália, Chile e Estados Unidos são os países que fazem os vinhos mais vendidos do mundo. Ao todo são 5 marcas, sendo que vinícolas americanas e australianas lideram no número de vinhos. Mas é um vinho Australiano e um chileno quem encabeçam esta lista! São eles:

No final de 1800, a epidemia de filoxera destruiu a maioria das vinhas da Europa. Uma crise imensa ocorreu e todo o futuro do vinho foi questionado pela praga. O uso de porta-enxerto americano resistente foi a solução encontrada para proteger contra a filoxera … isso implica que em uma planta 2 elementos coexistem, o porta-enxerto (resistente à filoxera) e a parte visível.

Como já disse por aqui, a Espanha possui a maior plantada de uvas do mundo, mas a França produz mais vinho, pois suas videiras são mais produtivas (há mais videiras por hectare plantado na França do que na Espanha).

Dentre as bebidas alcóolicas, o vinho é o que menos provoca ressaca. Mas como evitar esse sentimento de desconforto, com dor de cabeça, estômago ruim, boca seca….? Não existe receita milagrosa para ressaca. O melhor é não exagerar no álcool (obviamente). Também é importante não misturar bebidas. São as impurezas que acompanham o álcool que causam mais a ressaca do que o próprio álcool sabia? Por isso, a recomendação que faço é BEBA COM MODERAÇÃO!

Comentários