É associado ao Dia dos Namorados em muitos países porque era nesta época que, na era clássica, decorria o Festival do Amor. O acontecimento homenageava Afrodite (do grego Ἀφροδίτη, Aphroditê) a deusa grega do amor e do prazer, da beleza e da fertilidade – a mesma que seria adotada pelos romanos sob o nome de Vénus e tornada guardiã de Roma, pela proteção que oferecera à cidade.

Já no Brasil, o Dia dos Namorados é comemorado a 12 de junho, curiosamente a véspera do Dia de Santo António, o santo popular de lisboa, a quem se atribuem dotes de casamenteiro. A ideia foi de um publicitário e tinha por objetivo melhorar o resultado das vendas em junho, que eram muito fracas. “Não é só com beijos que se prova o amor!”, dizia um dos primeiros slogans. “Não se esqueçam: amor com amor se paga”, afirmava outro. A propaganda foi considerada a melhor do ano pela Associação Paulista de Propaganda à época. Estávamos em 1948.

A sua história remonta ao século III, quando o Bispo Valentim contrariou as ordens do imperador Cláudio II, que proibia o casamento durante as guerras por acreditar que os solteiros eram melhores combatentes. Só que o eclesiasta continuou a celebrar casamentos. A prática seria descoberta e o casamenteiro Valentim preso e condenado à morte. No entanto, a sua saga não seria comprovada e a Igreja deixou de celebrar a data do aniversário da sua morte.

O objetivo é promover o conhecimento e a compreensão dos sintomas, além de alertar para a importância do diagnóstico atempado. O enfarte agudo do miocárdio ocorre quando uma das artérias do coração fica obstruída, o que faz com que uma parte do músculo cardíaco fique em sofrimento por falta de oxigénio e nutrientes.

A expressão costuma aplicar-se à caixa da televisão, mas o feito da transmissão de voz à distância não lhe fica aquém. Foi neste mesmo dia, em 1876, que Alexander Graham Bell solicitou uma patente para o telefone. Muitos cientistas conseguiram desenvolver aparelhos elétricos de transmissão de voz à distância, mas o escocês terá sido o primeiro a patentear o invento – carimbo que lhe chegou três semanas depois.

Celebra-se ainda, na América, o Dia da Roda Gigante, por ser a data de nascimento do seu inventor, George Washington Gale Ferris, Jr. A ideia haveria de surgir durante os preparativos para a Exposição Mundial Colombiana de 1893 e a intenção do diretor da feira, Daniel H. Burnham, era criar uma peça que rivalizasse com a recém-erguida Torre Eiffel, em Paris.

Tudo estava mais ou menos calmo naquela manhã em Lincoln Park, Chicago, em 1929. Seis membros do gangue de George “Bugs” Moran, rival de Al Capone, e um amigo conversavam descontraídos à espera do chefe e de uma remessa de uísque. Eis que aparece a polícia. Os seis rendem-se imediatamente – assim como um mecânico de automóveis que trabalhava perto do local. São todos colocados contra a parede, pernas abertas, mãos para o alto. Foi quando apareceram mais dois homens de sobretudo, trucidando os sete com mais de 150 tiros.

Este é também Dia de São Cirilo, o Filósofo e São Metódio , irmãos e patronos da Europa. Um era monge, o outro bispo. Nascidos na Grécia no século IX, embarcariam numa dificil mas bem sucedida missão evangelizadora na Europa Central, na altura uma encruzilhada de influências recíprocas entre Oriente e Ocidente. Seria João Paulo II, em 1980, a reconhecer o sucesso da sua missão, ao declará-los patronos do continente europeu.

A data está associada a um outro momento marcante do século XX: em 1989, o Ayatollah Ruhollah Khomeini, líder religioso supremo e chefe de estado iraniano, emite uma fatwa – palavra que designa uma decisão jurídica baseada na lei religiosa – que encoraja os muçulmanos a matar Salman Rushdie, autor de Os versículos Satânicos. O livro do escritor britânico nascido na Índia continha uma crítica assumida ao islamismo e isso foi quanto baste para ser acusado de blasfémia, cuja pena é a morte. Em 1998, a fatwa haveria de ser suspensa, mas há dois anos foi novamente renovada pelos media iranianos.

Um ano depois, 1990, eis que nos chega uma fotografia da Terra que se revelaria muito especial. Fora tirada pela nave espacial Voyager 1 e ficaria mundialmente conhecida como Pale Blue Dot (Ponto Azul-Claro). A imagem mostrava o nosso planeta a fazer a sua órbita no sistema solar, a seis mil milhões de quilómetros da sonda, e era um pedido especial de Carl Sagan, conhecido cientista e divulgador científico americano, que convencera a agência espacial americana de que os gastos para a tirar valiam a pena, mesmo que não tivesse qualquer valor científico. “Mostrará o nosso lugar no universo”, argumentou Sagan, que haveria de escrever sobre ela no seu livro chamado exatamente Ponto Azul-Claro.

Em 2005, o feito seria de outra ordem. A data marca o lançamento do YouTube por um grupo de estudantes universitários. Era suposto ser, antes de tudo, um site de namoro, um espaço em que homens e mulheres partilhavam vídeos contando quem eram e o que procuravam no amor. O registo haveria de ser feito naquele que é conhecido como Dia dos Namorados, embora o primeiro vídeo só fosse publicado em abril. Acabaria por se tornar o maior serviço de partilha e armazenamento de vídeos do mundo.

A data faz também a diferença na vida do primeiro atleta olímpico e paralímpico da história a competir com atletas não deficientes. Tal feito deve-se ao facto de, por não ter as duas pernas, usar umas próteses feitas de fibra de carbono. Era conhecida como “Blade Runner” . Mas o sprinter amputado da África do Sul Oscar Pistorius não suportou os ciúmes que tinha da namorada Reeva Steenkamp e seria acusado de a assassinar exatamente num dia dos namorados. Estavámos em 2013. Pistorius seria inicialmente condenado a seis anos de prisão, em 2016, mas no ano seguinte a justiça sul-africana haveria de acatar o que era pedido no recurso da defesa, aumentando a pena para 13 anos e 5 meses.

No ano passado, o dia voltaria a ficar associado a um massacre – desta vez na Stoneman Douglas High School, na Flórida, revelando-se um dos assassínios em massa mais letais em escolas, com 17 mortes e 15 feridos. Nikolas Jacob Cruz, que ainda não tinha 20 anos, seria preso pouco depois, confessando a autoria do crime. Haveria de saber-se que já em setembro de 2017 tinha confessado, nas redes sociais, o seu sonho de se tornar um atirador profissional. Em janeiro de 2018, um mês antes do ataque, o FBI fora informado de que Cruz andava a fazer ameaças de morte. Mas devido a um erro, a polícia de Miami não foi notificada da informação.