O Brasil está oficialmente nos Jogos Pan-Americanos. A quarta-feira marcou não só a estreia do país nas competições como também foi dia da cerimônia de boas-vindas da deleção na Vila dos atletas.

Apesar de grande, o Time Brasil é ‘apenas’ o quarto maior do Pan, superado por EUA, Peru e Argentina. Muito ‘culpa’ de esportes coletivos como o futebol, que não disputa com nenhum dos dois times e diminuiu bastante a delegação.

O Brasil terá um ‘abismo’ de 53 anos de diferença entre o atleta mais velho (Claudio Biekarck, da vela) e a atleta mais nova (Victória Vizeu, da esgrima).

Claudio Biekarck, aliás, vai quebrar um recorde e se tornar o atleta com mais participações em Pan. Ele está em ação desde 1975 e vai para a sua 10ª aparição. Ele ganhou medalhas em todas; um ouro, quatro pratas e quatro bronzes.

São naturalizados Filipe Otheguy (francês da pelota basca), Pau Vela (espanhol do remo), Joshua Reeves (neozelandês do rugby), Nathalie Moellhausen (italiana da esgrima), Slobodan Soro (sérvio do polo aquático), Serafim Veli (albanês do levantamento de peso) e Xavie Vela (espanhol do remo).

Ainda nasceram fora do país Luisa Borges (nado artístico) e Rosângela Santos (atletismo), ambas nos Estados Unidos, Julia Bergmann (vôlei), na Alemanha, e Eduardo Yudy (judô), no Japão.