Às vezes é difícil acreditar que estamos vivendo situações tão indignantes e conservadoras em pleno 2019, não é mesmo? Nessa quarta-feira (15) foi aprovada no estado norte-americano do Alabama, uma lei que bane e criminaliza qualquer tipo de aborto, inclusive em casos de estupro e incesto, indo totalmente na contramão de tantas medidas de saúde e segurança ideais para mulheres. De acordo com a lei, os médicos que aceitarem realizar abortos podem pegar até 99 anos de prisão, e que a única exceção seria em caso de sério risco de vida ou se o feto tiver alguma anomalia letal.

Diversas celebridades repudiaram a decisão e se mostraram totalmente contra a lei. Através das redes, deixaram claro que essa decisão é algo único e individual, e que deve ser tomado pela mulher, já que o corpo pertence a ela. Olha só:

Lady Gaga publicou em seu Twitter que é um absurdo proibir o aborto e pior ainda em casos de estupro ou incesto. “Então, há uma penalidade maior para os médicos que realizam essas operações do que para a maioria dos estupradores? Isso é uma farsa e eu rezo por todas essas mulheres e jovens que sofrem nas mãos deste sistema”, comentou.

#AlabamaAbortionBan #Alabama #AlabamaSenate #NoUterusNoOpinion #PlannedParenthood #ProChoice I love you Alabama prayers to all women and young girls here are my thoughts: pic.twitter.com/LqmVyV8qsA

A musa Demi Lovato, que diversas vezes já se manifestou em questões sobre os direitos das mulheres, fez uma série de Stories sobre o assunto e fez questão de frisar que, independente de alguém concordar ou não com isso, quem deve tomar essa decisão é a mulher e que merecemos ter o direito de fazer o que queremos com nossos próprios corpos. “Meu corpo. Minhas morais. Minha vida. Minha escolha. Não sua”, dizia a mensagem compartilhada pela morena.

Mesmo não sendo norte-americana, a diva Dua Lipa também deixou clara a sua revolta com a decisão do estado do Alabama e deixou todo seu apoio e solidariedade às mulheres. “Não é seu corpo. Não é sua escolha. Não precisa justificar. Nenhum homem deveria tomar decisões tão fundamentais sobre os corpos das mulheres. Como pode o aborto ser banido antes das armas? Nossos direitos precisam ser ouvidos. E nós temos o direito de ficarmos revoltadas”, escreveu.

Not your body. Not your choice. No justification needed. No man should be making such a fundamental decision on a womans body. How is it that abortion gets banned before guns? Our rights need to be heard. And we have a right to be outraged. All my support from the other side of the pond. In solidarity with my sisters. #AbortionRights // photo repost via @lilmiquela

Riri também se manifestou e com um rompompom certeiro! A cantora publicou aS fotos de todos os políticos responsáveis pela aprovação da nova lei. Na legenda, se indigno: “Vejam. Esses são os idiotas que estão tomando decisões para as mulheres na América. Governador Kay Ivey… Vergonha de você!”

A Reese Witherspoon, atriz que faz a Madeline em “Big Little Lies”, também usou seu Twitter para se posicionar sobre o assunto. “Estou mais do que triste com a aprovação de novas proibições ao aborto no Alabama, Kentucky, Mississippi, Geórgia e Ohio. Isto é inconstitucional e repugnante. Não podemos tolerar este ataque aos direitos fundamentais das mulheres”, declarou.

I’m beyond upset about the passing of new abortion bans in Alabama, Kentucky, Mississippi, Georgia, and Ohio. This is Unconstitutional and Abhorrent. We can not tolerate this attack on women’s fundamental rights.

A talentosíssima atriz Chloe, assim como Rihanna, publicou as fotos dos responsáveis pela lei e disse: “Estou chocada, estou enojada. Nós merecemos o direito de ter jurisdição sobre nossos próprios corpos.”

A luta pela legalidade do aborto de forma segura e garantida pelo Estado não é uma questão religiosa, e sim uma questão de saúde pública. Enquanto leis como forem aprovadas, vamos continuar lutando por nossos direitos e por nossas vidas.