Após 12 anos de espera, Sandy e Junior retornaram aos palcos, desta vez juntos, para o primeiro show da turnê Nossa História, no Classic Hall, em Pernambuco. A volta da dupla é pontual – durará de julho a outubro de 2019 – somente para comemorar os 30 anos da bem sucedida carreira dos irmãos. “É muita emoção poder reviver essa história, é uma celebração de anos mágicos na nossa vida. A gente estava se transformando em quem a gente é. Foi um período importante na nossa vida para definir quem somos como artistas. E é uma grande alegria poder dividir isso com o nosso público, que estava morrendo de saudade”, contou Sandy, durante a coletiva de imprensa, realizada em março em São Paulo, na qual eles anunciaram o projeto juntos.

Além de Olinda, a turnê “Nossa História” passará por outras cidades do Brasil como: Salvador (13 de julho), Fortaleza (19 de julho), Brasília (20 de julho), Rio de Janeiro (3 de agosto), Belo Horizonte (17 de agosto), São Paulo (24 e 25 de agosto e 12 e 13 de outubro), Curitiba (31 de agosto), Manaus (13 de setembro) e Belém (14 de setembro).No repertório da turnê, Sandy e Júnior garantem hits como Nada Vai Me Sufocar, Replay, A Lenda, Desperdiçou, Era Uma Vez, O Amor Faz, Maria Chiquinha, Eu Acho Que Pirei, Vamô Pulá, Estranho Jeito de Amar, Quando Você Passa (Turu Turu), As Quatro Estações, Olha o Que o Amor me Faz, Inesquecível, Não Dá Pra Não Pensar, Você Pra Sempre (Inveja), Ilusão, Não Ter, Cai a Chuva, Com Você, Dig Dig Joy, No Fundo do Coração, Love Never Fails e Words Are Not Enough.

NOSSA HISTÓRIA“Neste hiato de quase doze anos, enquanto dupla, nossos fãs nunca deixaram de pedir ao menos um reencontro, mesmo sabendo de nossas escolhas artísticas individuais”, explica o multi-instrumentista Junior Lima, que assume a direção musical do projeto ao lado do músico e produtor Lucas Lima. “Nós sempre deixamos esta possibilidade no ar. Temos muito amor e orgulho pelo que construímos juntos. Acho que só estávamos esperando o momento em que estivéssemos prontos. A resposta só poderia sair de nós dois, ouvindo nossos corações e intuições, para que fosse uma entrega cheia de verdade”, pontua Sandy, que divide a direção artística com o irmão.

“Foi uma feliz coincidência, agora em 2019, completarmos trinta anos de nossa primeira apresentação na TV cantando ‘Maria Chiquinha’, no Som Brasil. Queremos nos divertir muito nestes três meses na estrada e proporcionar uma atmosfera afetiva para nossos fãs fieis que, em sua maioria, cresceram conosco. A gente tem total consciência de que hoje eles são adultos, curtem novas sonoridades. Mas acho que muitos devem se recordar do som que fazíamos na infância e adolescência com o mesmo carinho com que nós dois recordamos. E hoje as playlists podem proporcionar essas lembranças com muito mais facilidade. Já dá até pra ir entrando no clima, relembrando os ritmos, as letras”, brinca e diverte-se Junior Lima.”Acho que o nosso maior desafio é saber quais músicas deixar de fora”, pondera o diretor musical, que pretende manter grande parte das releituras bem próximas às versões originais. “Queremos dar às pessoas um ‘show de Sandy e Junior’, relembrar e revisitar quem a gente era e dividir isso com uma galera que não pôde ver na época mas acompanhava a carreira, o programa etc.”, anima-se Sandy que já dá um spoiler sobre bailarinos ao palco, como nos tempos de Maracanã, Quatro Estações e turnês anteriores.

Raoni Carneiro foi a escolha para assinar a direção geral da turnê, que escalou um time altamente qualificado, coeso e de sua confiança para estruturar e dar forma a todo o conceito criativo que permeia esta grande festa. No time de criação fazem parte o diretor Celso Bernini, na cenografia Zé Carratu, light design de Carlinhos Nogueira e para o videografismo um time formado por Studio Curva, Gogacine e o diretor de arte Rafael Conde.“O conceito de “Nossa História” é uma experiência atemporal, com um show vivo, latente, pulsante, repleto de amor e cuidado em cada passo, cada detalhe. Mas não estamos falando de um show vintage, apesar de ter uma matéria prima riquíssima adormecida há anos. O público e os artistas evoluíram, e o espetáculo vai acompanhar isso. Em paralelo, Sandy e Junior transcenderam ao tempo. Criaram e criam até hoje tantas memórias que passado e presente ainda se misturam. E esse projeto é apenas um encontro, que deve acontecer em um espaço mágico, com luz, led, signos, símbolos, marcas cênicas, ballet, banda. Tudo que proporcione aos fãs um momento único, com todos os elementos necessários para contar uma grande história”, afirma Carneiro. A banda de Sandy e Junior é formada pelo pianista Erik Escobar, o bateirista Mario Lima, os guitarristas Edu Tedesch, Guilherme Fonseca e Duda Bueno, e o produtor Milton Guedes.

O SHOWSandy e Junior entraram no palco e, já na primeira música, de mãos dadas, levaram o público à loucura. O primeiro look escolhido ainda deu um charme especial à dupla: preto e prateado, com direito a brilho e pedrarias. Em seguida, eles ainda cantaram No Fundo do Coração, depois Nada Vai Me Sufocar, com direito até a coreografia de Sandy. Durante a apresentação, os dois trocaram de looks outras vezes.

O penteado de Sandy, que foi quem fez a própria maquiagem, ficou a cargo do hair stylist Thiago Fortes. “Fiz um rabo. Eu que sugeri e usei, sim, aplique. Ela topou. Vamos tentar fazer preso nas cidades mais quentes, afinal são duas horas e pouco de show”, explicou ele a QUEM.

“Salve, salve, Recife. Boa noite. Tudo bem com vocês? Estar aqui eu nem posso falar o que está acontecendo nesse coração”, disse a dupla aos fãs que lotaram o Classic Hall. “Quanto tempo faz que vocês não viam isso aqui, que a gente não via isso. Que bom poder começar! A gente estava numa pilha! Que bom poder comecar aqui”, ainda disseram os irmãos.

“Eu quero só agradecer a presença de todos vocês que se esforçaram para estar aqui, que vieram de todos os lugares. Esse reencontro só acontece porque vocês pediram e estão aqui. Vamos curtir muito essa noite!”, disseram eles, com gritos eufóricos e muitas palmas do público.

O repertório seguiu com Fundo do Coração, Estranho Jeito de Amar, Olha o que o Amor Me Faz. O papo com os fãs não parou! “Está muito lindo isso, não sei nem como descrever a sensação, passa um filme na cabeça. Quantos shows a gente já fez aqui? Muitosss. A gente viveu 17 anos dessa história dessa história comprida e a gente construiu tanta coisa ao longo de 17 anos e agora ja faz 12 que a gente terminou a dupla. É muito louco reviver tudo isso. Sabe o que eu acho melhor? É poder construir novas lembrancas com vocês. É sair dessa turnê e dizer: ‘a gente viveu jsso junto'”, ainda disse Sandy.

A lista de hits seguiu a todo o vapor! Nada é Por Acaso, Love Never Fails (com direito a coreografia dos dois) e Quatro Estações. “Eu lembro que estava bem adolescente, várias descobertas, vocês estavam passando por uma fase parecida. Essa música é muito especial, por isso que entrou nesse show. Espero que vocês cantem juntos!”, disse Junior antes de cantar Aprender a Amar.

O setlist seguiu com Imortal, Libertar e Eu Acho que Pirei. No telão, fãs puderam se deliciar com imagens do grupo virtual que Sandy e Junior têm com o ex-integrantes do seriado estrelado pela dupla, chamado Galerinha + ou -. 

Um medley de músicas antigas agitou ainda mais o público, dando ainda mais vigor à apresentação: Beijo É Bom, Etc… e Tal, Vai Ter Que Rebolar, Dig Dig Joy e Eu Quero é Mais. Na sequência, Enrosca, do disco Quatro Estações: O Show, foi a 14ª música do repertóri e contou com Junior assumindo a bateria, com direito a solo e baquetas jogadas para a plateia, sendo ovacionado pelo público, claro.

A Gente Dá Certo foi a 15ª música, também com coreografia empolgada de Sandy e Junior. A apresentação da poderosa banda veio em seguida, com o tradicional solo de cada um com seus instrumentos.

Sandy chegou a fazer duas trocas de roupa durante o show.. “Isso tudo que vocês estão vendo deu muito trabalho, o maior desafio de todos, foi escolher o repertório. Imagina escolher essas músicas para serem os olhos do show, contar 17 anos de história tão resumidamente. É muito difícil! Parecia a Escolha de Sofia: cada música que ficava de fora dava aperto no coração”, revela Sandy.

“Tentamos passar por todas as fases da carreira, as músicas de maior sucesso, a gente queria deixar vocês felizes. Foi difícil, mesmo, mas espero que vocês estejam felizes. Agora vamos cantar de outro jeito: vamos nós e o violão? Vocês nos ajudam se esquecermos de algo?”, disse Sandy, sentando na ponta do palco com Junior enquanto o grupo soltava a voz com a canção Inveja.

“Agora a gente vai para 1996”, anunciou Sandy, que em seguida engatou Não Ter e Era uma Vez. “Vamos mais pra trás, com umas mais antiga que todas essas. A gente sempre escreveu, compôs, ensaiava, e só no fim gravava voz, eu tava começando a ficar pré-adolescente e mudei de voz. Aí o tom ficou alto para mim, daí eu dei essa música pro Junior e depois ele me devolveu”, disse ela antes de começar Com Você (I’ll Be There).

A lista de hits seguiu com Inesquecível – com direito a vídeos deles de quando eram pequenos sendo exibidos no telão – e Super Herói. Ao que muitos achavam ser o fim da apresentação de cerca de duas horas, rolou até chuva de papel picado enquanto tocava a música Cai a Chuva. Com o público gritando “eu não vou embora!”, Sandy apareceu com os olhos marejados ao ver a emoção dos fãs.

Ao final, fãs cantaram em uníssono e a capela Quando Você Passa (Turu Turu), música que havia ficado de fora do setlist. Não demorou muito e eles voltaram ao palco, realizando o pedido do público com uma das músicas mais famosas deles.

Troca de roupa e até um vídeo depoimento dos dois no telão, de cerca de 2min30seg, emocionou ainda mais os fãs que, em seguida, cantaram muito a próxima canção, Desperdiçou. Um dos momentos mais eufóricos foi, claro, quando Vâmo Pulá! literalmente tirou o público do chão, encerrando o show com chave de ouro!

Como não pode faltar num encontro musical com essas proporções, a Elo entra com uma parceria que tem como objetivo cada vez mais levar eventos importantes para todo o Brasil. “Fazer parte da turnê de comemoração aos 30 anos da dupla Sandy e Junior Lima na música, ao lado da Live Nation, é um orgulho para Elo, bandeira brasileira e jovem. Durante esse ciclo, teremos também a oportunidade de levar os shows para regiões do país que abrigam cidades que fazem parte do nosso programa Destinos, em que incentivamos o turismo por meio de inclusão financeira”, comenta Luis Cassio Oliveira, Diretor de Marketing e Comunicação da Elo.ANÚNCIO DISCRETODe forma discreta, a dupla confirmou a volta aos palcos no fim de janeiro com posts enigmáticos no Instagram de ambos. “Vamos conversar em março, @junior_lima?”, escreveu Sandy nos Stories, dando início à divulgação do retorno. Junior fez o mesmo post em sua página na web. Já em 13 de março, eles se reuniram no Allianz Parque, em São Paulo, para apresentar a imprensa o projeto “Nossa História” e anunciar oficialmente o tão aguardado encontro. Na ocasião, eles deram alguns detalhes da turnê como a informação de que os shows terão formato mais “pop”. Sandy ainda garantiu que terá balé no palco e que os dois não vão ficar parados, mas não prometeu coreografias como faziam na infância: “Tenho sonhos adolescentes, mas as costas doem”, brincou ela, ao citando sua própria música Aquela dos 30.No dia 22 de março, quando abriram as vendas dos ingressos para o público em geral (a pré-venda exclusiva apenas para clientes Cartão Elo ocorreu nos dias 20 e 21), os convites se esgotaram em questão de horas e os irmãos precisaram abrir novas datas em São Paulo para os dias 12 e 13 de outubro que se esgotaram em apenas 1 hora.

Para aguçar ainda mais a ansiedade dos fãs pelo retorno da dupla, Sandy & Junior fizeram um pocket show da turnê comemorativa dos 30 anos de carreira, nem 2 de abril, em um evento de uma montadora de carrros, em São Paulo. Os irmãos, que fazem carreira solo desde 2007, fizeram o seu primeiro show desde que causaram uma verdadeira comoção nacional ao anunciarem o retorno para a turnê Nossa História. Com uma plateia recheada de famosos, os irmãos de Campinas (SP) cantaram grandes sucessos como Inesquecível, Desperdiçou, Quando Você Passa (Turu turu), As Quatro Estações, Eu Acho que Pirei, Vamo Pulá, e a Lenda.