O filme de Yorgos Lanthimos soma dez indicações, sendo o título que aparece em mais categorias esse ano. Também é o único longa que conta com dois representantes disputando na mesma categoria: Rachel Weisz e Emma Stone concorrem simultaneamente a Melhor Atriz Coadjuvante. Já Olivia Colman está na briga pela estatueta de Melhor Atriz.

Na Inglaterra do século 18, Sarah Churchill, a Duquesa de Marlborough, exerce sua influência na corte como confidente, conselheira e amante secreta da Rainha Ana. Seu posto privilegiado, no entanto, é ameaçado pela chegada de Abigail, nova criada que logo se torna a queridinha da majestade e agarra com unhas e dentes essa oportunidade única.

– O diretor nunca teve interesse em mostrar um filme sobre homossexualidade, e sim, sobre seres humanos apaixonados. As relações íntimas das mulheres ficam em segundo plano, com assunto principal o caráter, comportamento e como isso afeta as pessoas e suas ações.  É uma hisória sobre como esses relacionamentos intimos afeta um mundo maior, um pais e o destino de uma guerra.

— Emma Stone é a única americana no time multinacional do elenco. A atriz admitiu que se sentiu honrada em encarar o filme, por seu papel não ter muitas falas e sim sutilezas. “É muito bom dar vida a uma personagem que obriga a plateia a prestar atenção no que se passa além de palavras” – Revela a atriz.

– Olivia Colman revelou que Emma Stone estava preocupada em tocar sua parte intima embaixo dos lençóis para gravar a cena de sexo, então Colman colocou uma esponja molhada na parte como barreira e que surpreendeu Stone para que se sentisse mais a vontade para gravar a cena.

– Emma Stone declarou que passou mal por usar durante muito tempo vestidos com espartilhos. No primeiro mês, a atriz disse não ter conseguido respirar direito e que a partir disso seus órgãos foram deslocados, o que para ela foi nojento e aconselha a ninguém usar esses topos de peças de roupa.