Uma espiã cujos serviços só foram descobertos na velhice, um assassino sedutor, o homem que divulgou a doutrina espírita pelo mundo… Para além do
documentário da juíza feminista Ruth Bader Ginsburg, que estreia na quinta, 23 de maio
, outras boas histórias de personalidades maravilhosas que atravessaram nosso mundo estão em cartaz nos cinemas.

Inspirado na história real da espiã Melita Norwood, relatada em livro de Jennie Rooney, o diretor Trevor Nunn assina uma mistura de trama de espionagem com drama romântico. Competente como sempre, a atriz Judi Dench valoriza a fragilidade física da personagem levada a revelar sua polêmica atuação política durante a juventude.

O Bonequinho aplaudiu o filme inspirado na história de um sedutor bandido da vida real: Carlos Robledo Puch, que matou 11 pessoas. A partir do livro “El ángel negro”, de Rodolfo Palacios (corroteirista), o filme de Luis Ortega é livre de amarras como o seu protagonista Carlitos, e foi também um dos filmes mais assistidos na Argentina em 2018.

O filme inspirado no livro em que Joyce Smith conta a história do acidente e da incrível recuperação de seu filho adotivo estreou no cinema sob a curiosidade de ter sido assistido previamente – e elogiado – pelo presidente Jair Bolsonaro. O Bonequinho olha atentamente para o drama da mãe hercúlea e cheia de fé.

A Paris do século XIX é reconstituída de modo cuidadoso e requintado na recriação da trajetória do professor, escritor e tradutor francês Hippolyte Léon Denizard Rivail (1804-1869), conhecido como Allan Kardec. Mas a dimensão humana buscada sai arranhada pelo tom solene de muitas situações, segundo o crítico Sérgio Rizzo.

O documentário, que estreia na quinta (23) com sessões gratuitas no cinema, conta a história de um símbolo do feminismo: a juíza Ruth Bader Ginsburg, conhecida como RBG, uma defensora ferrenha dos direitos das mulheres e avessa à política de Trump.

Os comentários são de responsabilidade excluisiva de seus autores e não
representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de
uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é
impróprio ou ilegal

© 1996 – 2019. Todos direitos reservados a Editora Globo S/A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.