São Paulo

A atriz e ex-atleta Caitlyn Jenner, 71, anunciou em suas redes sociais que deu início a papelada para concorrer ao cargo de governador da Califórnia. “Estou dentro! Vale a pena lutar pela Califórnia”, escreveu na publicação feita nesta sexta-feira (23).

Segundo o site Axios, Jenner é republicana de longa data e quer substituir o governador democrata Gavin Newsom, e se apoia na esperança de seu status de celebridade para causar uma reviravolta no estado mais populoso dos Estados Unidos.

Ela não se denomina como uma republicana que defende Donald Trump, 74, porém conta com alguns conselheiros do ex-presidente para conduzir sua campanha. Sua equipe é composta por proeminentes do Partido Republicando.

Nela estão inclusos Tony Fabrizio, principal pesquisador nas campanhas de 2016 e 2020 de Trump, Ryan Erwin, fundador da empresa RedRock Strategies e Tyler Deaton, que é presidente da Allegiance Strategies. Steven Cheung, assessor que trabalhou na campanha de Arnold Schwarzenegger em 2003 também foi contratado.

A equipe foi montada com ajuda de Brad Parscale, amigo de Jenner e ex-gerente de campanha de Trump. Em comunicado Jenner disse que “Sacramento [cidade da Califórnia] precisa de um líder honesto com uma visão clara”.

Ela continuou dizendo que “na última década, vimos o vislumbre do Golden State ser reduzido por um governo de partido único que coloca a política sobre o progresso e os interesses especiais sobre as pessoas”.

A declaração de Jenner condena os impostos do estado como “altos demais” e critica a determinação de “bloqueio excessivamente restritiva” à pandemia de Covid-19, incluindo a educação presencial. “Esta é a Califórnia de Gavin Newsom, onde ele nos ordena que fiquemos em casa, mas sai para jantar com seus amigos lobistas.”

Leia também  De Taylor Swift à Luisa Sonza: parem de resumir mulheres aos seus relacionamentos

Um consultor de campanha diz que Jenner, sendo uma mulher trans, “é muito socialmente liberal”. “Ela está concorrendo como uma pessoa socialmente liberal e fiscalmente conservadora”. Em 2018, ela assumiu publicamente apoiar Trump, quando o então presidente revogou as diretrizes federais que permitiam que os alunos transgêneros usassem os banheiros de sua escolha.

“Minha esperança nele estava perdida”, escreveu Jenner. “Certamente ela não concordou com [Trump] em muitas coisas”, disse o consultor. “Acho que Caitlyn falará com qualquer um, democrata ou republicano. Donald Trump não será o fator decisivo para o estado da Califórnia.”

De acordo com a Axios, a equipe de Jenner está convencida de que a eleição é “totalmente vencível”. Uma pesquisa em todo estado, feita neste mês, teve apoio para reeleger Newsom em apenas 40%.

Comentários