O Clubhouse, nova rede social que está ganhando popularidade mundial, é uma espécie de podcast aberto que conta com a presença de celebridades e salas de bate-papo sobre diversos temas.

O aplicativo também oferece uma opção para conversas privadas em salas apenas com amigos próximos. Mas o que chamou muita atenção foi o fato que para entrar em qualquer uma das salas do Clubhouse é necessário receber um convite.

publicidade

O sistema de convite para entrar na rede social fez muito sucesso com o início do app e, provavelmente, ocasionou a grande “febre” mundial. Afinal, os usuários que conseguiam efetuar o login na plataforma se sentiam um tanto quanto especiais.

Leia também!

Além disso, a ferramenta utilizou dos convites para não perder o controle do crescimento. Pois, no momento da fama repentina a empresa ainda tinha uma equipe pequenas para gerenciar o aplicativo e a sobrecarga poderia afetar diretamente a experiência dos usuários.

O cofundador e CEO do Clubhouse, Paul Davison, declarou que a rede social poderá deixar o sistema de convites para trás até agosto, mas não deu uma data específica para o feito.

Diferentemente do WhatsApp, na rede social não é possível escrever mensagens, enviar fotos ou vídeos, apenas mandar áudios.

Vale lembrar que o Clubhouse ganhou grande popularidade quando Elon Musk, dono da Tesla e Space X, participou de salas de conversa. Em uma semana, as buscas pelo aplicativo no Google cresceram 525%, mostrando o novo fenômeno que estava se aproximando.

O que você precisa saber sobre o Clubhouse

No Clubhouse as durações das salas de bate-papo possuem tempo pré-determinado pelo criador e não há opção para salvar ou gravar as conversas da rede social e elas também não ficam armazenadas na plataforma.

Leia também  TikToker choca internet com semelhança com a princesa Diana - 12/05/2021 - Celebridades

As salas do aplicativo podem chegar a ter cinco mil participantes simultâneos e o criador do bate-papo pode controlar a autorização de uso dos microfones dos participantes.

Para conseguir um convite não é necessário ter um amigo na plataforma, basta baixar o aplicativo e entrar em uma lista de espera sincronizada com os contados do telefone.

Conheça os criadores do Clubhouse

Os criadores da plataforma, Rohan Seth, ex-funcionário do Google, e por Paul Davidson, empresário do Vale do Silício, anunciaram em janeiro deste ano que estão trabalhando em um versão para Android que deve ser lançada em breve.

Os fundadores revelaram que se conheceram em 2011 e trabalharam em diversas ideias até chegar no Clubhouse, um “novo tipo de produto social baseado na voz, permitindo que pessoas em todos os lugares falem, contem histórias, desenvolvam ideias e criem amizades ao redor do mundo”.

Clubhouse banido na China

O aplicativo foi bloqueado pelo “Grande Firewall” da China. Usuários em grupos de WeChat começaram a relatar inabilidade de se conectar ao serviço na manhã desta segunda-feira (8), e tentam ajudar uns aos outros a contornar o bloqueio usando tecnologias como uma VPN.

A rede recebeu críticas até mesmo nos EUA, por sua moderação ineficaz e ausência de sistemas de prevenção de abuso, portanto não é de se espantar que fosse banida na China, país onde o governo exerce controle rígido sobre todos os meios de comunicação.

O Spotify lançou um novo aplicativo nesta quarta-feira (16) para concorrer com o Clubhouse no mercado de redes sociais de chats de voz. A nova ferramenta do streaming sueco de música ganhou o nome de Greenroom.

Apesar de ser um novo lançamento do Spotify, o Greenroom é a remodelação do aplicativo Locker Room, que foi comprado pela empresa em março deste ano, só que com novos recursos.

Leia também  Revista AdNormas - ESG, ética e valores
Greenroom: Spotify lança app para concorrer com o Clubhouse. Imagem: Divulgação/Spotify

Os usuários poderão fazer login no novo aplicativo com seu ID do próprio Spotify e poderão participar dos chats de voz ao vivo. Para se destacar no mercado, o Greenroom terá ferramentas para gravação das conversas que podem se tornar podcasts e serem hospedados na plataforma de streaming.

As salas de áudio nos aplicativos poderão ser criadas por qualquer usuário e o limite máximo é de 1.000 participantes simultaneamente. Os chats serão definidos por temas, como, por exemplo, música, esporte, cultura e etc, mas também será possível criar ambientes livres.

Os moderadores poderão controlar quem terá acesso ao microfone e os ouvintes podem interagir com aplausos, ou pedir a palavra.

O novo aplicativo do Spotify estará disponível de maneira gratuita para Android e iOS em 135 país, incluindo o Brasil.

O Spotify anunciou que criará um Fundo para Criadores, com intuito de ajudar de maneira amigável as pessoas que trabalham com a plataforma a monetizar seu conteúdo. A empresa não anunciou a data exata da abertura do fundo, mas permite que os interessados se inscrevam para participar do movimento.

“Acreditamos que o Spotify tem uma oportunidade não apenas para permitir transmissões ao vivo, mas para ajudar na descoberta, impulsionar o consumo e acelerar o crescimento da categoria ao vivo em geral. O lançamento do aplicativo de hoje é a nossa oportunidade de começar a estabelecer as bases para a lista de conteúdo e recursos empolgantes que o Spotify tem guardado em nossa aventura em áudio ao vivo”, afirmou a empresa em seu blog oficial.

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Comentários

Você não precisa sofrer pra fazer dieta.

entre para o Desafio 19 dias