A decisão divulgada nesta quarta-feira (27) pelo juiz James Burke, da Suprema Corte em Manhattan, é uma vitória para os promotores que acusam Weinstein de cinco crimes sexuais, incluindo estupro.

O ex-produtor de Hollywood se declarou inocente das acusações de conduta sexual imprópria feitas por duas mulheres, em 2006 e 2013, bem como nega alegações de cerca de 70 mulheres sobre má conduta sexual que datam de décadas, dizendo que foram contatos consensuais. Um julgamento está marcado para 6 de janeiro de 2020, no qual Weinstein pode ser condenado à prisão perpétua.

Ao se recusar a descartar as acusações predatórias de agressão sexual, Burke rejeitou a alegação de Weinstein de que um suposto estupro no inverno de 1993-94 ocorreu “há muito tempo para servir como crime ‘agravante’ e ‘subjacente’”, conforme exigido pela lei estadual.

Copyright Folha de S.Paulo. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br).

close

🤞 Não perca nada!

Assine nossa newsletter e receba novidades e ofertas exclusivas!

Comentários

Você não precisa sofrer pra fazer dieta.

Conheça o Desafio 19 dias!