Otávio Mesquita não gostou de ter sido citado por Jorge Kajuru durante a CPI da Covid. O senador havia zoado o apresentador após uma fala de Fabio Wajngarten, ex-secretário de Comunicação do governo Jair Bolsonaro, e foi rebatido. “Siga sua vida e seja íntegro, combinado?”, disparou o contratado do SBT, que ainda rejeitou a amizade do ex-colega de trabalho.

O comentário foi feito na introdução do programa Operação Mesquita da madrugada de quinta-feira (20), e foi primeiramente notado pelo roteirista Leandro Sarubo, no site Teleguiado. Geralmente descontraído, Otávio Mesquita falou mais sério com seu público ao mandar o recado para Kajuru.

“Boa noite, pessoal, boa noite, começando mais um Operação Mesquita aqui, diretamente da minha residência, onde nós sempre abrimos nosso programa para dar informações. Mas eu queria aproveitar a oportunidade. Muitas pessoas falaram assim: ‘Não, Otávio, esqueci isso, não fala sobre isso’. Mas eu tenho uma característica que é a seguinte: a maior malandragem é a honestidade”, começou Mesquita em sua atração.

“Ao longo de 61 anos de idade, eu nunca tive o meu nome envolvido em absolutamente nada. Participei de todas as emissoras, sou amigo de todas as emissoras e, tecnicamente, poderia trabalhar em todas que eu fui funcionário, fui apresentador, repórter, enfim.”

Na sequência, Mesquita falou sobre a sua participação em uma peça publicitária do governo que orientava a população a se prevenir contra o coronavírus. “No ano passado, eu e um grupo de pessoas famosas participamos de uma campanha do governo que visava esclarecer a população com relação às medidas sanitárias necessárias para evitar a propagação da Covid”, lembrou o apresentador.

“Isso foi antes da exigência das máscaras, faz muito tempo isso, foi logo no começo da pandemia. Então, naquela campanha, dentre elas, a gente falava que as pessoas tinham que lavar as mãos, usar álcool gel, ao espirrar, cobrir a boca e o nariz para evitar contaminação e, existindo os sintomas da doença, deveriam procurar as unidades básicas de saúde.”

Leia também  Paulo Gustavo não morreu: irmã do ator faz apelo

Confira a campanha, que também contou com nomes como Sikêra Jr., Zezé Di Camargo, Patati Patatá, Carlos Bertolazzi e o lutador Minotauro:

Mesquita ressaltou que não recebeu nada para gravar a mensagem na campanha do governo. “Muitas celebridades participaram dessa campanha, repito, visando o esclarecimento e a prevenção da Covid à população. Muitas pessoas fizeram. Isso tudo, deixo bem claro aqui, foi feito gratuitamente. Eu, Otávio Zaneti Mesquita, não recebi cachê para fazer isso. Por quê? Porque algumas campanhas, a gente tem que ajudar as pessoas, os nosso irmãos brasileiros e brasileiras.”

O âncora do Operação Mesquita, então, começou a alfinetar Jorge Kajuru. “Fica registrado aqui esse meu depoimento correto, apesar da minha informalidade. E lamentar também, porque o senador Kajuru fez uma observação lamentável a meu respeito. Eu que o ajudei durante muito tempo na Band, sempre fomos amigos”, começou.

E ele, do nada, como é um senador que não tem uma conectividade tão grande com assuntos mais corretos, e tem atividades e jeitos que a gente questiona… Mas enfim, cada um tem o seu estilo, ele lamentavelmente me culpou e me colocou numa posição que não existe.

Para finalizar, Otávio afirmou que estava se dirigindo ao amigo Jorge Kajuru, e não ao senador. “Você sabe que eu tenho 38 anos de televisão. Eu estive em todas as emissoras e hoje sou vice-líder absoluto aqui no SBT, estou aqui há oito anos. Então, quando você fizer algum tipo de comentário, alguma brincadeira, pense no passado. Pense nas coisas que nós fizemos juntos, nos momentos que tivemos juntos na Band”, disparou.

“Não acho justo, correto, você, por ser senador, achar que você pode falar essas bobagens que você disse a meu respeito, ok? Fica registrado aqui. Nada contra, ok? Siga a sua vida, eu sigo a minha. E sejamos éticos, corretos e, não vou dizer amigos mais, porque você agora me rechaçou, e eu também não quero mais ter esse contato. Mas siga sua vida e seja íntegro, combinado?”

Leia também  Marido de Paulo Gustavo se apega à fé e detalha luta do humorista contra Covid-19 · Notícias da TV

Otávio Mesquita na CPI da Covid

O nome de Mesquita foi parar na CPI da Covid durante depoimento de Fabio Wajngarten. O funcionário do SBT foi citado pelo ex-secretário como uma das celebridades contratadas para a campanha Juntos Somos Mais Fortes, iniciada pelo governo em 14 de março de 2020, ainda no início da quarentena no Brasil.

Jornalista e senador, Jorge Kajuru ironizou Otávio Mesquita. “Celebridade é o Otávio Mesquita? Se o Otávio Mesquita é celebridade no Brasil, eu quero mudar para o Paraguai hoje”, provocou o político.

close

🤞 Não perca nada!

Assine nossa newsletter e receba novidades e ofertas exclusivas!

Comentários

Você não precisa sofrer pra fazer dieta.

Conheça o Desafio 19 dias!