São Paulo

Casey Hammer, tia do ator Armie Hammer, 34, “Me Chame Pelo Seu Nome”, irá revelar os segredos e escândalos da família Hammer em uma série documental. Ele é acusado de agressão sexual e abuso psicológico por ex-namoradas.

A tia do ator, que é neta do empresário Armand Hammer, assinou um contrato de exclusividade com a Talos Films, a produtora por trás do Discovery +’s Queen of Meth e Disney +’s Family Reboot , para desenvolver o projeto. A informação foi confirmada pelo Deadline.

A série vai contar a história “a história definitiva e interna da ascensão e queda da notória família Hammer”, inclusive os episódios mais recentes envolvendo o ator de 34 anos. A Talos está comprando o projeto para emissoras e empresas de streaming.

Em março, uma jovem acusou o ator de estuprá-la há quatro anos em Los Angeles. O advogado de Hammer chamou a acusação de “ultrajante” e disse que todas as relações sexuais do ator foram “completamente consensuais”. A polícia investiga o caso.

A acusação de estupro ocorre após afirmações nas redes sociais feitas por várias mulheres em janeiro acusando o ator de abuso físico e emocional, além de revelarem que ele teria compartilhado fantasias sexuais violentas.

Hammer disse na época que não responderia o que chamou de “ataques virtuais maldosos”, mas foi deixado por seus representantes e cortado de dois projetos em Hollywood.

A mulher, que se identificou apenas como Effie, disse em uma entrevista coletiva por vídeo que esteve em uma relação romântica com o ator. Na época, ele era casado com a celebridade televisiva Elizabeth Chambers.

“No dia 24 de abril de 2017 Armie Hammer me estuprou violentamente por mais de quatro horas em Los Angeles, durante o ato ele bateu repetidamente minha cabeça contra a parede, machucando meu rosto”, disse Effie, que hoje tem 24 anos, a jornalistas. “Ele também cometeu outros atos de violência contra mim, aos quais não consenti.”

Leia também  Justin Bieber aparece com dreadlocks e é criticado nas redes sociais

A advogada de Effie, Gloria Allred, disse que a mulher havia oferecido provas à polícia. Um porta-voz do Departamento de Polícia de Los Angeles informou que “Armie Hammer é suspeito em uma investigação sobre suposto abuso sexual”, aberta no dia 3 de fevereiro de 2021.

Comentários