Conceição da Barra, Norte do Espírito Santo, vai virar point da arte e gastronomia à beira-mar de quarta (24) a domingo (28). Na ocasião, acontece a 6ª edição do Pocar, que promete levar ao município espetáculos teatrais, shows, intervenções artísticas, mostra de cinema, oficinas, debates e um circuito gastronômico.

As apresentações do Melanina MCs e do pupilo de Dominguinhos, o acordeonista Mestrinho, são bastante aguardadas na programação, que terá até show internacional. O norte-americano Biafran Lion fará seu primeiro show no Espírito Santo dentro do festival, trazendo a mistura do reggae com o hip-hop.

“Pensar e fazer a cultura é de grande importância para a emancipação dos sujeitos, sobretudo neste momento onde o fomento à cultura perde força devido à falta de incentivo e as mudanças com relação à Lei Federal de Incentivo à Cultura. Por isso, propomos dialogar tradição e modernidade num só festival, como forma de apontar caminhos possíveis para o campo da cultura no Espírito Santo”, aponta Didito Camillo, idealizador e coordenador do POCAR.

Ligado às raízes locais, o Pocar aindapresta homenagem ao cantador local Mirtinho, falecido recentemente, que contribuiu muito para a manutenção do Ticumbi na região. Através desta homenagem, o POCAR celebra a memória de Mirtinho com um ajuntamento de sanfona, viola e pandeiro, com cantadores e músicos locais. Os jongos de São Cosme e Damião e de Nossa Senhora Aparecida também integram a programação do festival.

Com uma nova proposta, esta é a primeira edição que o evento conta com um circuito gastronômico. Cinco restaurantes barrenses participantes são responsáveis por montar um cardápio que tem no pescado e no aipim sua base.  

Assim nasceram a “Moqueca Sabor do Sapê”, uma moqueca de arraia, com purê de aipim e arroz, feita pelo Restaurante do Pintinho; o “Siri do Porto” (catado de siri, com chips de aipim), do Restaurante Abrolhos; o “Camarão do Cricaré” (escondidinho de aipim com camarão), do Restaurante Casarão; o “Isca do Mandela” (um filé de tilápia, com farofa de mandioca e banana, vinagrete e molho da casa), do Mandela GastroBar; e o “Delícia do Cais” (uma moquequinha de peroá, desfiado com banana da terra e farofa de camarão seco), do Restaurante Casarão do Cais.

Os pratos serão vendidos a preços acessíveis, no valor de R$ 15. As pessoas que consumirem todos os pratos, ganharão brindes e concorrerão a diferentes prêmios. “Temos uma comunidade pesqueira e quilombola muito forte, que produzem as bases dos pratos. Assim, formamos um ciclo bem legal de produção e consumo de coisas de Conceição”, fala Didito.

Mas nem só de comida viverão estes espaços. Eles também serão invadidos pela música. “A maior parte das apresentações do POCAR acontecem no Cais, mas os cinco restaurantes que são participantes dessa edição também vão sediar algum tipo de atração cultural no período do festival. Eles já estão fazendo os pratos especiais desde o início do mês, mas os shows começam nesta quarta (24)”, explica o idealizador do Pocar, Didito Camillo.

Como é um evento cultural, o Pocar ainda terá teatro e literatura. De Cachoeiro do Itapemerin, a Cia. Nós de Teatro apresenta o espetáculo teatral #PALAVRASCRUZADAS, que retrata a incomunicabilidade dos sujeitos contemporâneos, fora das mídias sociais. E da Argentina, o Circo Teatro El Individuo, apresenta o espetáculo Grandes Roubadas, com o palhaço Mercúrio.

Já o espetáculo Memórias à Venda, do Instituto Cultural Tambor de Raiz (ES), promove uma imersão nas falas, cantorias, vestimentas e elementos da cultura popular e tradição oral do norte do Espírito Santo. Ele será seguido de um bate-papo sobre a necessidade de preservar a cultura local através de diferentes narrativas.

Já no campo da Literatura, a tradicional feira da Editora Cousa, do escritor e editor Saulo Ribeiro, aporta em Conceição da Barra para mais uma comercialização de livros de escritores capixabas, a preços módicos, todos vendidos à quilo.

Outro ponto alto do evento é o Almoço Cultural na comunidade quilombola de Porto Grande. Com a temática sabores e fazeres, os participantes terão a oportunidade de vivenciar experiências gastronômicas na comunidade.

20h – “Festejo da Chegança” com: Jongo de São Cosme e Damião; Jongo de N. S Aparecida; Afro Batucada; Artistas Convidados do Pocar; Barroco Jazz Band; e Banda Pôr do Sol

20h – Mostra Pocar de Cinema: com “Ato Público”, de Henrique Selva Manara; “Rio Itaúnas Sempre Vivo, da Foz à Nascente”, de Jefferson de Albuquerque Jr. e Kika Gouvêa.

19h30: Mostra Pocar de Cinema: com “Canto para a liberdade – A festa do Ticumbi”, de Orlando Bomfim Netto; “Mestre Pedro de Aurora, pra ficar menos custoso” de Orlando Bomfim Netto; e “Baile de Congo de São benedito”, de Apoena Medeiros