Categorias
Notícias

FIFA 20: DLC da Libertadores chega sem Corinthians; times brasileiros estão com jogadores genéricos

A EA Sports liberou para download o DLC da Libertadores no FIFA 20 nesta terça-feira para Xbox One, PS4 e PC. A chegada do pacote gratuito que traz a Copa Libertadores, a Copa Sul-Americana e a Recopa confirmou a presença de jogadores genéricos nos times brasileiros e a ausência do Corinthians, eliminado na chamada Pré-Libertadores. Dois estádios também foram adicionados, ambos de equipes argentinas: o El Cilindro, do Racing, e o Libertadores de América, do Independiente.

Conforme informou a EA Sports há cerca de duas semanas, será possível jogar com todos os times que participam da fase de grupos da Libertadores e todos que competem na Sul-Americana. Fazem parte da lista inclusive clubes antes exclusivos do eFootball PES 2020, da Konami, como Flamengo, Palmeiras, São Paulo e Vasco. Pelo lado brasileiro, também figuram equipes que já estavam disponíveis no FIFA 20: Athlético-PR, Grêmio e Santos na Libertadores; Atlético-MG, Bahia, Fluminense, Fortaleza e Goiás na Sul-Americana. Garantido na fase de grupos da Libertadores, o Internacional será incluído nos modos do torneio numa atualização futura, mas é outro com que já era possível jogar desde o lançamento do game. O Corinthians, por sua vez, continua fora do FIFA 20, sendo exclusivo do PES 2020.

+ Wendell Lira se classifica para segunda FUT Champions Cup seguida + Zezinho comemora título inédito de Mundialito após ter cogitado aposentadoria: "Fiz bem" + Problema de servidor leva jogadores a definirem vencedor em seletiva no pedra, papel e tesoura + Jogador polêmico, Kurt é banido de todos os games da EA + Calendário dos eSports de 2020: confira as datas dos principais campeonatos do ano

Todos os times brasileiros estão com nomes, escudo e uniformes autênticos. O mesmo vale para exemplos como Boca Juniors e River Plate dentro dos modos da Libertadores, equipes que aparecem com esses elementos genéricos nos outros modos do FIFA 20 por terem acordos com a Konami. Os clubes do Brasil são os únicos com jogadores genéricos no elenco. Por conta das exigências da Lei Pelé, é necessário que as empresas negociem o direito de imagem com cada atleta individualmente para que eles figurem com nome e aparência reais.

Comentários