Um gato preto nada mais é que um felino com melanismo. Ou seja, uma característica genética que lhe confere a coloração escura da pelagem. Contudo, ele é apenas mais um gato normal, como todos os outros.

Ainda assim, principalmente no Brasil, ele é visto com maus olhos por muita gente. Existe, inclusive, uma associação no imaginário popular do gato preto com coisas ruins.

Basicamente, esse mito começou na Idade Média. Devido aos mitos propagados na era medieval, aliás, propagou-se a crendice de que gatos pretos eram bruxas transformadas em animais.

Apesar de tudo, o gato preto é legal e não existe motivo algum para você ter medo dele (ou maltratá-lo). Por exemplo, ele não vai te trazer azar pelo simples fato de ter os pelos pretos.

Primeiramente, sabia que não existe só um tipo de gato preto? Uma associação norte-americana descobriu que existe pelo menos 22 raças diferentes de gatos com pelagem completamente preta. Além disso, a mais popular é a Bombay.

Os gatos pretos foram desenvolvidos para se parecerem com um mini panteras negras. Além disso, a raça foi desenvolvida por uma criadora dos EUA chamada Nikki Horner e também levou 30 anos para conseguir criar esses animais.

Existem várias possibilidades para o surgimento do mito de que o gato preto da azar. Um deles surgiu na Grécia Antiga e está relacionado com uma lenda envolvendo as divindades gregas Zeus e sua irmã e esposa, Hera.

Segundo a lenda, Zeus engravidou uma princesa chamada Alcmena (mãe de Hércules) e Hera, claro, queria dar um jeito de evitar o nascimento do bebê. Mas uma das servas de Alcmena interferiu nos planos de Hera e, como castigo, a divindade traída a transformou em um gato preto e a mandou para servir a deusa da morte.

Acima de tudo, os druidas também possuíam uma lenda com os gatos pretos. Para esse povo, os felinos dessa cor representavam humanos reencarnados que voltavam ao mundo para pagar pelas maldades que haviam cometido em vida.

A associação com as bruxas e o demônio ocorreu na Idade Média. Está relacionada com as mulheres acusadas de bruxaria, que eram muitas vezes banidas das comunidades e acabavam cuidando de gatos abandonados.

Consequentemente, os gatos de cor preta foram associados com feitiços e bruxarias. Além disso, começaram a circular rumores de que as bruxas eram capazes de se transformar nesses felinos.

Outra lenda é de que um gato preto cruzou o caminho de um homem e seu filho, em uma estrada. Então, assustados, os dois jogaram pedras no animal. Ferido, o bicho buscou refúgio na casa de uma bruxa da região.

No século 13, o Papa Gregório 11 publicou um documento no qual afirmava que os gatos pretos eram a encarnação de Satanás. Essa, aliás, foi a pá de cal para a consolidação do mito.

Na Alemanha, por exemplo, existe uma crença popular antiga envolvendo os gatos pretos. Basicamente, ela diz que se um gato preto pula na cama de uma pessoa doente, é por que ela está perto da morte.

Em contraste, em vários lugares do mundo onde os gatos pretos são considerados amuletos da sorte e seriam responsáveis por atrair a boa sorte, fortuna e fartura. Inclusive, existem culturas que acreditam que dar um desses animais a uma noiva no dia do casamento pode garantir vida longa e feliz ao casal.

Por fim, os marinheiros também consideram os gatos pretos animais do bem. Além disso, no passado sua presença nas embarcações. Da mesma forma que ajudavam a controlar a população de ratos nos barcos, eles também garantiam o regresso seguro dos viajantes.