Categorias
Notícias

Grande Rio leva o Estandarte de Ouro de melhor escola do Grupo Especial

A Acadêmicos da Grande Rio ganhou o Estandarte de Ouro, prêmio oferecido pelo Jornal O Globo, de melhor escola do Grupo Especial do carnaval 2020. A escola homenageou o pai de santo Joãozinho da Gomeia.

A escola criada em 1988 tenta seu primeiro título do Grupo Especial. Nos últimos dois carnavais ela ficou de fora do Grupo Especial. De volta a ele este ano, ela teve problemas com dois carros, que podem diminuir suas notas em quesitos como evolução e harmonia.

O abre-alas chamou atenção com tons terrosos e belos retalhos de panos e crochê, além de "um homem-pássaro". Só que uma parte dele ficou parada na concentração deixando um "buraco" na avenida;O quarto carro, unindo candomblé e carnaval, se movimentou com dificuldades durante quase todo o desfile;Um dos destaques da tricolor de Caxias foi a volta de Paolla Oliveira como rainha de bateria, fantasiada de Cleópatra, após dez anos fora.

Os componentes fizeram lembrar os tempos em que ele foi tomar banho no rio e relatou ter visto um grande pássaro. Depois, descobriria que se tratava da entidade cabocla que o guiaria até o fim da vida.

As alas também representaram os períodos conturbados de Joãozinho. Uma delas retratou a busca por cuidado médico após sofrer fortes dores de cabeça e outra reviveu a dificuldade de ter que dormir em sacos de embrulhar carne, em um armazém.

A Viradouro, segunda escola a desfilar no primeiro dia do Grupo Especial, conquistou o prêmio de melhor enredo. "Viradouro de alma lavada" exaltou as mulheres negras de Salvador ao falar sobre as Ganhadeiras de Itaupã, quinta geração de lavadoras de roupa na Lagoa do Abaeté.

Dentre as escolas que disputam o título da Série A do carnaval carioca, a Imperatriz Leopoldinense foi a grande vendedora do Estandarte de Ouro. A escola reeditou o enredo "O teu cabelo não nega (só dá lalá)", em homenagem ao compositor Lamartine Babo, que a consagrou campeã em 1981.

Comentários