Um dos ícones e rostos obrigatórios do Cinema Novo, morreu neste sábado (10/110, o ator,diretor e roteirista Joel Barcelos, aos 81 anos de idade, no Rio de Janeiro. A causa da morte ainda não foi divulgada, mas, ao UOl, a informação foi confirmada por Ginaldo de Souza, amigo de longa data de Joel, e pelo ator Stephan Nercessian.

Numa das fases mais pródigas do cinema brasileiro, ele atuou em filmes icônicos como ”Cinco vezes Favela” (1962), “Os Fuzis” (1964), “A Falecida” (1965), ”Garota de Ipanema” (1967), ”Copacabana Me Engana” (1968), “Sagarana, o Duelo” (1974), “Anchieta, José do Brasil” (1977), ”Corações a Mil” (1981), ”Luz del Fuego” (1982), “Rio Babilônia” (1982) e “O Homem Nu” (1997). Também dirigiu e roteirizou ”O Rei dos Milagres” (1971) e ”Paraíso no Inferno” (1977).

O ator nasceu como Joel Dias Barcellos, em Vitória, no Espírito Santo, em 27 de novembro de 1936. Mudou-se com a família para o Rio de Janeiro ainda aos três anos de idade. Sua primeira experiência como ator aconteceu ao participar do Teatro Rural dos Estudantes, enquanto cursava a Faculdade de Agronomia.

Joel estreou nos palcos em nada menos que a montagem de “Eles Não Usam Black-Tie”, de Gianfrancesco Guarnieri, no Teatro de Arena. No cinema, começou com uma pequena participação em “Trabalhou Bem, Genival!” (1955). Depois, vieram mais de 50 filmes. Em 1969, foi forçado pela ditadura militar a exilar-se na Itália. Só voltaria ao Brasil em 1975.

Teve também uma longa carreira na TV, quando apareceu em especiais e minissreies como “O Pagador de Promessas” (1988), “Tereza Batista” (1992), “Memorial de Maria Moura” (1994), “Engraçadinha: Seus Amores e Seus Pecados” (1995), “A Justiceira” (1997), “Linha Direta Justiça” (2000), além da novela “Mulheres de Areia” (1993).

De grande talento, foi duas vezes premiado no Festival de Brasília: em 1968, como Melhor Ator por “Jardim de Guerra” (1970), de Neville de Almeida; e em 1990 como Melhor Ator Coadjuvante, por “Beijo 2348/72” (1990), de Walter Rogério.Vários atores, como Matheus Nachtergaele, lamentaram a morte de Barcelos.

Amigos, o Ator Joel Barcelos na foto é o da direita, um dos maiores Atores desse país, lamentavelmente ninguém homenageia a grandeza e qualidade de um Ator que o Cinema Brasileiro reconheceu internacionalmente. Descanse em Paz Joel Barcelos, como brasileiro o agradeço pelos ensinamentos da Arte Interpretativa do Cinema, o Cinema Nacional e Arte brasileira estão de luto !