De Castanhal para o mundo, a sua qualidade musical transcende os elementos da natureza e cria uma rampa de lançamento para satisfazer o paladar musical daqueles que têm sede de música de qualidade e de letras que conversam com a alma, num diálogo ritmado, saudosista, mas que transpira aconselhamento.

O estrondo do músico castanhalense fez-se ouvir em 2015, numa exaltação à dor: Ah! Dor! Ah! Dor! / Não me deixe, eu lhe imploro / Fica, me envolve, me conforta, fixa / Ah! Dor! Ah! Dor! / Você foi só o que restou em mim / O que me faz ser vivo sem você aqui.

Desde então, assim como o Sol, a voz quente de Jaloo aquece a água, evapora para o ar em forma de música, conduz as correntes de ar à atmosfera e eleva o vapor da terra para o ar onde se condensa em nuvens. Com uma força incrível, as canções de Jaloo movem os elementos ao nosso redor, se elevam, e as partículas de água colidem e caem sobre nós como chuva, como música.

Jaloo é um misto de cultura, diversidade, tradição, natureza, força, encanto, sentimentos e sensações. Uma trajetória em ascensão repleta músicas e letras autênticas que o cantor paraense para o status de uma das figuras indispensáveis ​​da atual música brasileira.