Não foi fácil, não foi bonito e não foi dominante. Mas foi histórico. Jon Jones fez o que foi preciso para se manter campeão dos pesos-meio-pesados no UFC 247 diante de Dominick Reyes ao vencer a luta principal do evento por decisão unânime (48-47, 48-47 e 49-46), atingindo a 11ª defesa de cinturão do UFC, Anderson Silva e igualando o recordista, Demetrious Johnson, além de 17 vitórias seguidas e 14 vitórias em lutas valendo cinturão – todos recordes do UFC. Já Dominick Reyes sofreu a primeira derrota da carreira em 13 lutas como profissional.

O duelo teve início com Reyes buscando o ataque logo no primeiro instante da luta. Jones revidou com um chute no joelho do desafiante, que recuou. O desafiante não se intimidava, e buscava o ataque com diretos que passavam raspando à cabeça do campeão. Na metade do round, ao tentar aplicar um chute baixo, Jones recebeu um jab do rival e perdeu o equilíbrio, caindo no octógono. Mesmo tendo se erguido rapidamente, o campeão recebeu dois golpes rápidos de Reyes. O desafiante mantinha a postura ofensiva, obrigando Jones a recuar, deixando o campeão desconfortável em vários momentos durante o combate. No minuto final do round, Jones acertou um chute alto de raspão na cabeça de Reyes, que não teve efeito.

Dominick Reyes e Jon Jones voltaram para o segundo round aplicando chutes baixos e buscando a luta na curta distância. Reyes decidiu partir para o ataque, mas o fez de forma atabalhoada, errando a maioria dos golpes que desferia. Jones mantinha a tranquilidade mesmo com as costas na grade, e depois ao circular no octógono. A clássica estratégia dos pisões no joelho era mais uma vez muito usada pelo campeão, forçando o desafiante a recuar e circular para proteger as pernas. Reyes aparentava cansaço pela explosão dada no início do round, enquanto Jones mantinha o ritmo, mesmo recebendo alguns golpes.

A luta começou a toda velocidade no terceiro round. Reyes e Jones mais uma vez apostavam nos chutes baixos, mas o desafiante buscou surpreender com um chute alto, que foi defendido com muita agilidade pelo campeão. A luta era equilibrada e muito tensa, com ataques potentes de ambas as partes. Após algumas tentativas de golpes de Reyes, Jones partiu para a derrubada junto à grade, mas não conseguiu derrubar o rival, que fez muita força para se manter de pé. Os dois lutadores atacavam com força, mas Reyes pecava pela falta de precisão. Após o sinal de fim do round, Jones acertou uma joelhada na perna de Reyes, mas o árbitro não fez menção de adverti-lo.

Dominick Reyes começou o quarto round muito agressivo, e conectou dois bons golpes em Jon Jones. O campeão recuou até a grade, desequilibrado, mas Reyes mais uma vez não teve a precisão necessária para acertar o campeão em cheio. Jones tentou mais uma vez a derrubada, desequilibrando o desafiante, que levantou-se rapidamente. Reyes era perigoso nos golpes na média distância, mesmo cansado e sem a mesma potência e velocidade dos rounds anteriores. Jones mantinha a sua postura e sua estratégia e fazia o desafiante ter de se defender, e não atacar, até o intervalo.

No quinto e último round, com a luta em aberto, Reyes começou golpeando e pontuando, mesmo sem muita potência. Jon Jones buscou a derrubada, mas o desafiante ergueu-se rapidamente. Jones usava os longos braços para se defender dos ataques de Reyes, fazendo com que eles, quando encontravam o alvo, não tivessem muita força. Jones apostava nos chutes baixos e rodados, e também pontuava. De surpresa, o campeão tentou um chute alto que passou raspando à cabeça de Reyes. Nos trinta segundos finais, já com ambos muito cansados, a luta ficou tensa, mas sem nenhum perigo de nocaute até o fim.

CARD PRINCIPAL Jon Jones venceu Dominick Reyes por decisão unânime (48-47, 48-47 e 49-46) Valentina Shevchenko venceu Katlyn Chookagian por nocaute técnico a 1m03s do R3 Justin Tafa venceu Juan Adams por nocaute a 1m59s do R1 Dan Ige venceu Mirsad Bektic por decisão dividida (29-28, 28-29 e 29-28) Derrick Lewis venceu Ilir Latifi por decisão unânime (triplo 29-28) CARD PRELIMINAR Trevin Giles venceu James Krause por decisão dividida (29-28, 28-29 e 29-28) Lauren Murphy venceu Andrea Lee por decisão dividida (29-28, 28-29 e 30-27) Khaos Williams venceu Alex Morono por nocaute aos 27s do R1 Mario Bautista venceu Miles Johns por nocaute técnico a 1m41s do R2 Journey Newson venceu Domingo Pilarte por nocaute técnico aos 38s do R1 Andre Ewell venceu Jonathan Martinez por decisão dividida (29-28, 28-29 e 30-27) Youssef Zalal venceu Austin Lingo por decisão unânime (triplo 30-27)

Facebook Comments