Dienis convidou e Leticia Spiller aceitou de bate-pronto o desafio de gravar sua primeira canção, “Lua Cheia”, em parceria com o cantor carioca. No embalo, o músico e a atriz de O Sétimo Guardião, ainda fizeram a versão em espanhol chamada “Luna Llena”.

O clipe, que tem pegada sensual e foi dirigido por Nicolas Martin Ferreira e filmado no Sul da França, foi lançado com exclusividade no palco do Encontro. Relembre 👇👇👇

Dienis já emplacou músicas em Malhação, I Love Paraisópolis e Império. Nesta terça-feira, 30/4, eles lançam o videoclipe em evento no Rio de Janeiro. O trio bateu um papo com o Gshow sobre essa parceria musical. Confira 👇

As pessoas se surpreendem com seu lado cantora?”O público fica surpreso, sim. Acho que porque o canto está mais presente no teatro, no Coletivo El Camino, no INFUSION. Na TV, trabalhei pouco isso. Lola, de Joia Rara, e Lenita, de Sol Nascente, foram ótimas oportunidades de ter a música no meu trabalho em novelas. Agora, com ‘Lua cheia’, estou vivendo o canto de outra maneira, e adorando.”

Tem vontade, por exemplo, de lançar um CD? “Se você me perguntasse isso antes de ‘Lua cheia’, era provável que eu dissesse que não estava nos meus planos. Mas gravar essa canção me deixou com mais vontade de investir na música. Não penso para agora, mas é sim uma possibilidade.”

Essa canção com o Dienis é algo novo na sua carreira. Como surgiu?”Quando eles me convidaram bateu um frio na barriga. Mas segui minha intuição e aceitei. A música é linda, tem tudo a ver comigo e trabalhamos numa equipe de muitos amigos, o que fez com que o trabalho fluísse ainda mais.”

Existe a possibilidade de seu lado cantora prevalecer o de atriz?”Para mim, as coisas caminham juntas. Canto e atuação são formas de manifestar minha arte, de me comunicar. Isso me completa. Quero investir cada vez mais no canto e continuar com os projetos como atriz.”

A música está sendo lançada em diversos países. Como é saber que pessoas ao redor do mundo estão te escutando?”É uma delícia receber esse retorno além das fronteiras do Brasil. Fico muito feliz quando as pessoas compartilham que estão ouvindo a música tanto aqui quanto lá fora. Acho que a arte não tem fronteiras mesmo. E saber que algo que fizemos com tanto carinho está sendo tão bem recebido em diversos países, é muito bom. Sinto uma gratidão enorme.”

Tem vontade de se apresentar, fazer shows no exterior?”Tenho. Agora, com o final da novela, eu e Dienis devemos viajar por alguns países para divulgar ainda mais a música. Não vamos ter show dessa vez. Mas quem sabe futuramente? É uma vontade que vem crescendo em mim.”

O clipe foi filmado no Sul da França. Como foi essa experiência?”Mágica! Filmei enquanto gravava a novela. Consegui uns dias de folga e viajei. Fez toda diferença porque o clima do lugar tem tudo a ver com a música. Teve espaço para dança também, que é outra grande paixão na minha vida. Sugeri de colocarmos o giro, que eu faço. Curtiram a ideia e fizemos. Foi um trabalho muito gostoso.”

Qual foi o maior desafio desse trabalho?”Eu gravei uma música, algo que nunca tinha feito. E, de cara, fizemos a versão em português e em espanhol. No clipe, temos que sincronizar a dança com a letra da música, fazer com que tudo fique harmônico e funcione. São muitos detalhes.”

De que forma a Letícia contribuiu nesse processo? “Ela já fez vários musicais e o marido (o uruguaio Pablo Vares) dela é músico também, muito talentoso. Leticia gostou de participar do arranjo. Sabe bem o que quer e me ajudou no processo de finalização da música.”

E como chegou ao nome dela? “Meu empresário, Nicolas Martin, é amigo da Leticia. Faltava colocar a voz de uma mulher na música. Ela foi até a Argentina e eles conversaram sobre o projeto. Leticia ficou encantada, e eu muito honrado.”

Você faz sucesso primeiro no exterior. Como avalia essa trajetória? “Acredito que tudo está traçado. Tenho quatro músicas em novelas, três em filmes… Acabei de passar por 13 países. Fazer sucesso no exterior é excepcional. Eu não esperava. Agora, com todo essa experiência de fora, me sinto mais preparado e firme naquilo que desejo musicalmente.”

Por que gravar o clipe na França? “Nossa ideia inicialmente era gravar na Espanha. Mas nossa equipe era basicamente composta por franceses, então achamos que seria mais interessante. Queríamos um lugar que tivesse o sentido da música. Gravamos numa terra onde andaram muitos ciganos, pessoas que tem a ver com essa pegada.”

O que tem de mais especial nesse trabalho?”Acredito que é o primeiro autoral da Leticia, e também a minha volta ao Brasil. Voltar para casa é sempre bom. É um desafio fazer as pessoas relembrarem a minha trajetória aqui.”

Como foi dirigir a Leticia e o Dienis no clipe? “Ela é atriz, muito mais fácil de dirigir, e ajudou bastante para essa história acontecer, para criar essa ideia. Foram sete dias de gravação. Os dois são sérios, focados.”

Por que escolheu a França como locação? “A música tem essa pegada de rumba, flamenco, gipsy. E a locação foi muito importante para transmitir esse clima mais sensual que queríamos. Escolhi uma ruína que é muito usada em filmes europeus e tem uma expressão selvagem também.”