A resposta do cantor teve quase seis mil curtidas e os seus fãs gostaram da iniciativa de Samuel. “Você é o maior! Continua amassando todo mundo”, escreveu uma seguidora. “Eu admiro tanto a paciência do Samuel. Morri mil vezes!”, divertiu-se outro.

Ed Sheeran tem um talento único. Literalmente. Sozinho, o britânico provou nesta primeira noite em que se apresentou em São Paulo que sabe como poucos dominar dezenas de milhares de pessoas com apenas um violão e a ajuda de um aparato desenvolvido só para ele em cima do palco.

Duas integrantes do grupo punk feminista Pussy Rio”, que em abril virá pela primeira vez ao Brasil, Maria Aliokhina e Kyril Masheka, foram expulsas de um avião no aeroporto de Barcelona por causa de seu estado de embriaguez, informou a Guarda Civil à AFP.

Beth Carvalho ganhou uma verdadeira roda de samba em casa! A cantora, que não está conseguindo andar por causa de uma inflamação na parte inferior da coluna — e chegou a fazer shows deitada nos últimos meses por dores nas costas –, recebeu a visita do grupo Moça Prosa, composto apenas por mulheres.

A virtuosa violinista alemã Anne-Sophie Mutter, o pioneiro do hip-hop Grandmaster Flash e a fundação Playing For Change foram agraciados nesta quarta-feira em Estocolmo, na Suécia, com o Polar Music Prize, prêmio criado pelo antigo produtor do ABBA, Stig Andersson, e considerado o “Nobel da música”.

Ozzy Osbourne deixou o hospital ontem e se recupera em casa, após um período internado. O ex-vocalista do Black Sabbath passou por problemas respiratórios que o obrigaram a cancelar shows, mas, de acordo com a mulher, Sharon, seu quadro evoluiu bastante.

Dave Grohl mostrou seu apoio a uma das estrelas pop da nova geração durante entrevista na conferência Pollstar Live, em Los Angeles (EUA), na noite de ontem. Segundo a “Variety”, o líder do Foo Fighters comparou a cantora Billie Eilish com sua ex-banda, o Nirvana.

Bem antes do Linkin Park fazer fama mundial e ser um dos líderes na ascensão do nu metal, o vocalista Chester Bennington tinha outra banda, a Grey Daze. Pouca gente poderia imaginar que mais de duas décadas depois, o filho de Chester, Jaime, assumiria os microfones do grupo, por um motivo nobre.

Jards Macalé aprendeu a nadar. Faz tempo. “Sou de peixes, pô, nado desde pequenininho”. Mesmo assim, nos anos 70, agentes da ditadura frequentemente batiam à sua porta no Rio de Janeiro e perguntavam se ele topava dar uma voltinha nada amistosa pela Baía de Guanabara. O “convite” vinha sempre acompanhado da pergunta capciosa: “você sabe nadar?”. A prática era comum e a ameaça visava amedrontar a arte, matá-la por afogamento. Jards, então, lançou seu segundo LP em 1974 e o batizou de “Aprender a Nadar”. “Fui à forra. O lançamento do disco foi em uma grande barca na Cantareira e eu me lancei na Baía de Guanabara por livre e espontânea vontade”. Hoje, aos 75 anos, esse bendito compositor brasileiro nada de braçada. O recém-lançado disco “Besta Fera” já se anuncia como um dos grandes acontecimentos da arte brasileira em 2019 e devolve ao seu público algo que estava adormecido há 20 anos: um trabalho só com composições inéditas. O título do álbum, suas letras e uma certa sombra que envolve a maioria dos arranjos remetem ao mesmo terror que assombrava o Brasil 45 anos atrás. Romulo Fróes assina a direção artística. A produção é de Thomas Harres e Kiko Dinucci – o primeiro toca bateria e o segundo gravou violões, sintetizadores e samples.

Quem ama os anos 90 e curte guitarras com refrãos pegajosos tem praticamente um dever cívico amanhã: ir ao show da dobradinha Bush e Stone Temple Pilots em São Paulo, que acontece no Credicard Hall, na zona sul da capital. Evocando nostalgia e hits de uma década cada vez mais em voga, a apresentação conjunta passará ainda pelo Rio (dia 15, Km de Vantagem Hall) e Belo Horizonte (dia 17, Km de Vantagem Hall), com abertura do grupo brasileiro República.

Ed Sheeran volta a se apresentar hoje no Brasil, menos de dois anos depois de trazer a mais bem-sucedida turnê de sua carreira ao país. O público brasileiro assiste pela segunda vez aos shows de “Divide”, não que isso seja um problema para os fãs, que já estão acostumados a ouvir os sucessos do cantor britânico na função repetir.

Nem todo herói usa capa – alguns com papel e caneta salvaram muitas vidas com suas rimas. Com a junção dos heróis das histórias em quadrinhos e MCs do rap brasileiro, uma série incrível de ilustrações. *Contém leves spoilers de Vingadores – O Filme e Vingadores: Guerra Infinita (mas você já deve ter assistido)

Ed Sheeran já está no Brasil e aproveitou sua tarde de folga para dar um passeio em São Paulo e visitar uma loja de guitarras no bairro de Pinheiros. O músico britânico desembarcou hoje de maneira discreta no Aeroporto Internacional de Guarulhos. Ele está no Brasil para fazer shows em São Paulo e Porto Alegre.

O rapper 21 Savage foi liberado de um centro de detenção para imigrantes sob pagamento de fiança, informaram seus advogados. Detido desde o dia 3 de fevereiro, o cantor britânico estava com problemas relacionados a sua permanência nos Estados Unidos.

Avril Lavigne conta com a ajuda de Nicki Minaj para se rebelar contra o estereótipo de “loira burra” em sua nova música, “Dumb Blonde”, lançada hoje. Trata-se da terceira música de trabalho do disco “Head Above Water”, que a cantora lança na sexta (15).

“O Bizarro Mundo de Frank Zappa.” É com esse nome que será lançada a turnê que contará com o holograma de um dos músicos mais excêntricos do rock como atração principal. A imagem de Zappa vai viajar por Estados Unidos e Europa, recriando a partir de abril um pouco do que foi a carreira do norte-americano, morto em 1993.

Um dos grandes destaques do Grammy, Drake teve um pedido inusitado quando foi questionado por um repórter do Entertainment Weekly. “Eu quero dizer que o prefeito de Toronto deve deixar a CN Tower dourada amanhã. Você é estúpido ou bobo?”, brincou o rapper canadense na saída da premiação.

Os números de Cynthia Luz são pra lá de seguros: são 25 milhões de views no YouTube e 2,4 milhões de ouvintes mensais no Spotify. Fora que a rapper é seguida de perto por 900 mil fãs no Instagram e seus posts atingem a marca das dezenas de milhares de likes com certa facilidade. No entanto, certa de que queria fazer música, Cynthia teve que convencer a si mesma de que tinha o que precisava para seguir sua carreira artística, apostando todas suas fichas no incerto. “E a galera fala: ‘Ah, foi muito rápido, muito fácil’. Eu só dou uma risada. Nem faço questão de contestar. A gente carrega um rótulo. Essa foi uma missão que me foi dada”, disse ao UOL, por telefone.

A cantora Pink não faturou um Grammy neste domingo (10), mas, quando chegou em casa recebeu um prêmio que deve ter derretido seu coração. Sua filha, Willow, fez ela mesmo um gramofone caseiro, imitando a estatueta que é dada na cerimônia e o deu junto ao irmão mais novo, Jameson. 

Embora o fiilme “Bohemian Rhapsody” não retrate fielmente a cronologia de alguns acontecimentos na história do Queen, a cinebiografia musical é certeira em inúmeros aspectos para recontar a trajetória do grupo britânico e de seu vocalista, Freddie Mercury. O protagonista Rami Malek, que venceu o Bafta de melhor ator pelo papel, contou à revista “NME” uma história dos bastidores envolvendo o cantor e o festival Live Aid, uma das apresentações mais icônicas do quarteto.

O rapper Drake, que ganhou neste domingo (10) o Grammy de melhor canção de rap por “God’s Plan”, teve seu microfone cortado no meio do discurso. O rapper, que surgiu de surpresa no palco para receber o troféu, estava nos bastidores da apresentação. Antes, ele tinha dito que não participaria da cerimônia.

A estreia de Alicia Keys como apresentadora do Grammy 2019 não poderia ter sido melhor. O longo relacionamento da artista com a premiação a deixou bastante à vontade no palco. E Alicia já chegou mostrando a que veio. Ainda no tapete vermelho, surgiu linda de vermelho e sem maquiagem.

Um músico vestido de Paul Stanley viu seus cabelos ficarem em chamas durante um show nos Estados Unidos. A banda em questão é a Hairball, que se define como a “melhor experiência do rock dos anos 1980” e fazia uma homenagem ao Kiss. O vocalista e guitarrista Bobby Jensen se vestiu de “Starchild” – personagem de Paul Stanley – com direito a roupa e maquiagem e sequer parou de cantar enquanto sua cabeça pegava fogo.

Cardi B divide sua vitória no Grammy deste domingo (10) com o rapper Mac Miller, que morreu em setembro do ano passado, aos 26 anos. Indicado postumamente na categoria de melhor álbum de rap por “Swimming”, Miller foi representado na premiação por sua família.

Kacey Musgraves começou a compor canções aos oito anos de idade, aprendeu a tocar o bandolim (um instrumento de cordas bastante usado no country) aos 12, e gravou suas primeiras músicas aos 18. Na noite deste domingo (11), aos 30 anos de idade, Musgraves coroou a trajetória de prodígio ao vencer o prêmio de melhor álbum do ano, e mais três outras estatuetas do Grammy, pelo disco “Golden Hour”, lançado no ano passado.

Uma banda calcada no Led Zeppelin ou outra com um pé no hard rock das antigas e que aposta em máscaras e fantasias – incluindo de Papa? O Grammy 2019 marcou um duelo entre as duas grandes apostas do rock no momento, as esperanças de encher arenas e atrair jovens fãs ao gênero. E quem ficou com a estatueta neste domingo (10) foi a Greta Van Fleet, atração do Lollapalooza 2019, em São Paulo.

O Grammy 2019 definitivamente foi das mulheres. Desde a apresentadora, passando pelas homenageadas e as premiadas, a energia feminina dominou a 61ª edição da maior e mais importante premiação da música, também marcada por discursos mais amenos e com mensagens de esperança e união, sem alfinetadas ou situações desconfortáveis ao menos durante a transmissão.

Saulo Poncio e Luan Otten, do duo UM44K, têm 23 anos, mais ou menos a mesma idade que Roberto e Erasmo Carlos tinham na década de 1960 quando escreveram os inesquecíveis hits que embalaram a Jovem Guarda. Fãs das composições do Rei e do Tremendão, eles querem que suas baladas pop-românticas sejam lembradas daqui alguns anos tanto quanto foram àquelas escritas pelos seus ídolos.

Dua Lipa recebeu, neste ano, suas duas primeiras indicações ao Grammy e saiu da cerimônia deste domingo (10) de mãos cheias. A cantora britânica foi escolhida como a artista revelação e levou ainda o gramofone de melhor gravação dance por “Electricity”.

Jennifer Lopez deu um show de energia no palco do Grammy 2019 neste domingo (10). Escalada para homenagear os 60 anos da Motown Records, a cantora se transformou em dezenas de personagens para performar de uma só vez dez músicas marcantes da gravadora que revelou nomes como Stevie Wonder, Marvin Gaye, Diana Ross e os Jackson 5, grupo de Michael Jackson e seus irmãos.