Um total de 76 filmes brasileiros serão exibidos gratuitamente ao longo até 18 de maio, nos municípios de Carnaíba, Iguaracy, Ingazeira e Afogados da Ingazeira

A quinta Mostra Pajeú de Cinema começa nesta sexta-feira (3) e vai trazer para o Sertão de Pernambuco um total de 76 filmes brasileiros, que serão exibidos gratuitamente ao longo de 16 dias nos municípios de Carnaíba, Iguaracy, Ingazeira e Afogados da Ingazeira. “A gente está pensando a mostra como uma forma de dar um outro repertório cinematográfico para o Sertão, onde o audiovisual independente brasileiro não chega. É uma oportunidade de abrir espaços para esses filmes”, explica Bruna Tavares, que é uma das diretoras da mostra. Dentre os filmes que serão exibidos, dois farão a sua estreia nacional durante o evento (o longa “Mateus”, de Déa Ferraz, e o curta “O muro era muito alto”, de Marcelo Marão). Outros 15 são inéditos em Pernambuco.Para garantir o acesso de todo tipo de público, haverá sessões noturnas, matinês (com destaque para uma seleção de episódios da série “Bia desenha”, dirigida por Neco Tabosa e roteirizada por Kalor Pacheco) e até mesmo uma sessão acessível, voltada para portadores de necessidades especiais (cegos e surdos ou ensurdecidos).Leia também:Solidão de uma nova realidade no filme ‘O organismo’Mostra Pajeú de Cinema divulga programaçãoPetrobras corta patrocínio de festivais de cinema, música e teatroA curadoria das obras que serão exibidas em Afogados da Ingazeira foi realizada pelo pesquisador e crítico André Dib, e os filmes das demais cidades foram selecionados pela própria Bruna e pelo outro diretor da mostra, William Tenório. “Este ano o recorte está relacionado com questões atuais, como meio ambiente, violência, tudo isso que a gente está vivendo no Brasil. A ideia é provocar uma reflexão no público”, afirma Bruna.O período da mostra é o único em que o Cine São José, tradicional cinema de Afogados da Ingazeira, entra em atividade. “O público fica aguardando o ano todo, e durante o evento comparece por conta própria, quer usar o espaço, participar, e isso tem sido muito revelador, muito bacana”, confessa Bruna. Atividades formativasAo longo da programação, a mostra também trará uma série de atividades formativas gratuitas nas quatro localidades, entre elas duas oficinas (a “Oficina Rápida de Cinema Ligeiro”, que fala das possibilidades estéticas das vinhetas audiovisuais e será ministrada pela realizadora pernambucana Eva Jofilsan; e a “Oficina de Crítica Cinematográfica”, com a jornalista e professora sergipana Suyene Santos, que vai discutir as diferentes formas de crítica e o contexto do ofício no cenário contemporâneo do cinema). Maiores informações e uma retrospectiva virtual dos cinco anos da Mostra Pajeú de Cinema podem ser encontrados no site do evento.