Em outubro de 1977, a cidade de São Paulo recebeu a 1ª Mostra Internacional de Cinema. Concebida pelo crítico Leon Cakoff, tinha 22 filmes na programação. Em 2019, chega à 43ª edição, a partir do dia 17, com cerca de 300 obras. Nessas mais de quatro décadas, a mostra expandiu as fronteiras cinematográficas do público, desafiou a censura, estabeleceu-se como um pilar da diversidade e tornou-se um patrimônio paulistano.

A programação de cinema do Masp desenvolvida desde 1974 por Cakoff, então diretor do Departamento de Cinema, foi a semente da mostra, e a primeira edição foi criada para os 30 anos do museu. “Termos uma mostra internacional de cinema em São Paulo equivale a termos agora toda a consciência do mundo”, escreveu Cakoff. 

Os anos eram de chumbo, e a mostra enfrentou a censura em várias ocasiões. Após a redemocratização, os desafios não acabaram. Em 1990, sem patrocínio, a mostra recebeu a ajuda de uma produtora francesa, que cedeu os direitos de “Asas do Desejo”, de Wim Wenders, um dos filmes mais cultuados de toda a sua história. Já neste ano, perdeu o patrocínio de mais de dez anos da Petrobras.

Dificuldades que não impedem a mostra de trazer ano a ano o melhor do cinema contemporâneo, sem deixar de lado os grandes mestres. Fritz Lang, Elia Kazan, John Ford, Orson Welles, Stanley Kubrick e Federico Fellini são alguns dos cineastas cujas obras foram exibidas nesses 43 anos (confira exemplos abaixo).

Com ela, o público foi e continua sendo apresentado a cineastas iniciantes, como foi com Quentin Tarantino nos idos de 1992, e a nomes fora do circuito comercial. E tem a oportunidade de ver filmes que se destacaram em festivais como Cannes, Berlim e Veneza. 

A mostra é ainda um momento de pequenos prazeres. Um deles é descobrir pérolas cinematográficas entre os filmes menos concorridos. Basta olhar a programação, ler a sinopse, comprar a entrada e se surpreender. Outro é fazer maratonas de vários filmes em um mesmo dia.

E quem nunca ficou em uma fila, à espera de uma sessão concorridíssima? A cena era mais comum antes da internet e das poltronas numeradas (lembro de uma quilométrica para ver “Tudo Sobre Minha Mãe”, de Pedro Almodóvar). As filas e as antessalas dos cinemas proporcionam mais um prazer: os encontros com amigos. Nada melhor para resumir a mostra: um grande encontro com o cinema do mundo.

43ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo De 17 a 30 de outubro. Programação no site: mostra.org. Ingressos:”‚R$ 20 e R$ 24. Compra antecipada pelo site veloxtickets.com.

O SELVAGEM DA  MOTOCICLETA, de Francis Ford Coppola americanas.com.br: DVD por R$ 54,90 livrariasaraiva.com.br: DVD por R$ 54,90FEIOS, SUJOS E MALVADOS,  de Ettore Scola Looke: grátis para assinantes, R$ 3,99 (aluguel) e R$ 12,99 (compra)METROPOLIS,  de Fritz Lang Telecine Play: grátis para assinantes Looke: grátis para assinantes, R$ 4,99 (aluguel) e R$ 19,99 (compra) NOW:: R$ 6,90 (aluguel)OS ELEITOS,  de Philip Kaufman Looke: R$ 7,99 (aluguel) NOW: R$ 6,90 (aluguel)CÃES DE ALUGUEL, de Quentin Tarantino Netflix: grátis para os  assinantes iTunes: R$ 11,90 (aluguel) e R$ 27,90 (compra) Looke: R$ 7,99 (aluguel) Microsoft Store: R$ 4,90 (aluguel) e R$ 32,90 (compra)HIROSHIMA, MON AMOUR,  de Alain Resnais Looke: grátis para assinantes, R$ 3,99 (aluguel) e R$ 14,99 (compra) NOW: disponível para assinantes do LookeASAS DO DESEJO,  de Wim Wenders Looke: grátis para assinantes, R$ 3,99 (aluguel) e R$ 12,99 (compra) americanas.com.br: DVD por R$ 150BICHO DE SETE CABEÇAS,  de Laís Bodanzky NOW:”‚R$ 6,90 (aluguel)1900,  de Bernardo Bertolucci Looke: grátis para assinantes, R$ 4,99 (aluguel) e R$ 19,99 (compra)O PAGADOR DE PROMESSAS,  de Anselmo Duarte NOW: R$ 3,90 (aluguel)A DOCE VIDA,  de Federico Fellini Looke: R$ 4,99 (aluguel) e R$ 14,99 (compra) americanas.com.br: DVD por R$ 58,90 Oldflix: grátis para assinantes Spcine Play, 14 filmes que já estiveram na mostra: www.spcineplay.com.

Copyright Agora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.