O Museu da Imagem e do Som (MIS), Instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, foi inaugurado em 1970 e é um dos mais movimentados centros culturais da cidade. O seu acervo possui mais de 200 mil itens, como fotografias, filmes, vídeos e cartazes.

Além de grandes exposições nacionais e internacionais, o Museu oferece grande variedade de programas culturais, com eventos em todas as áreas e para todos os públicos: cinema, dança, música, vídeo e fotografia estão presentes na vida diária da Instituição.

De acordo com o Diretor Cultural Cleber Papa, o MIS é uma instituição ativa, totalmente voltada para a geração de conteúdo para seu acervo, sua exibição pública, integrando os diversos interesses da sociedade na sua área de ação.

“É o ponto de partida para os programas do museu, o desenvolvimento e aproveitamento de ideias que contribuam para o aperfeiçoamento das relações humanas, da difusão do conhecimento em todas as formas de cultura, do popular ao erudito, conectando pessoas nos mais diversos campos do conhecimento humano”, explica.

O MIS realiza quatro grandes exposições por ano, sendo que a maior delas fica cerca de quatro meses em cartaz. Além disso, abriga várias outras exposições de menor porte, normalmente de fotografia e linguagens de imagens em movimento e tecnologia.

O Museu realizou nestes últimos anos mostras que abrangem um universo muito amplo, como as dedicadas a Stanley Kubrick, David Bowie, O mundo de Tim Burton, Hitchcock – Bastidores do suspense, Castelo Rá-Tim-Bum – A exposição, Renato Russo, entre outras. Atualmente, está em cartaz a exposição Quadrinhos, até 26 de maio.

Um dos fatores que contribui para a escolha de uma temática é a possibilidade de aproveitamento e multiplicação do conteúdo através de palestras, discussões e debates, mostras de filmes, entre outros.

Para a professora Maria Ires, o MIS apresenta a cultura para a população, realçando a diversidade e explorando diferentes áreas do conhecimento. “A exposição Quadrinhos é excelente, tanto que essa já é a minha segunda visita à mostra. Também já visitei Silvio Santos vem aí!, O mundo de Tim Burton e Renato Russo”, conta.

Graças às suas características como Museu, o MIS funciona normalmente como uma instituição “intramuros”, tendo realizado cerca de 590 atividades em 2018, na sua sede em São Paulo.

Por outro lado, ganha espaço com o programa regular conhecido como Pontos MIS. Pelo programa, o Museu atua em praticamente todas as regiões do Estado, estando presente em 120 cidades, um número que tende a aumentar.

Nessas cidades, são realizadas diversas atividades, como mostras de cinema, de fotografia, oficinas (palestras, workshops, masterclasses), sempre relacionadas com o objeto de atuação do museu.

Em 2018, foram 2.000 sessões de cinema e 487 palestras e oficinas. Estes números são uma demonstração evidente das relações do MIS com as comunidades em que atua e o imenso potencial que representa como instrumento de difusão cultural, de capacitação e de formação de artistas e criadores para as atividades de fotografia, cinema, vídeo e outras linguagens.