Sobral. Com inscrições abertas até 29 de junho, o Programa Toda Banda de Música é uma Escola, da Secretaria da Cultura do Estado (Secult), busca fortalecer as políticas do Sistema Estadual de Bandas de Música do Ceará (Sebam). Ele atua como canal de formação, difusão e fruição da música instrumental, apoiando, promovendo e fortalecendo as bandas locais. O projeto faz parte da política de ampliação e requalificação da infraestrutura cultural no Interior do Estado, e também atende demandas dos regentes, instrumentistas, gestores públicos, professores, estudantes e demais agentes e instituições locais, que compõem a rede de bandas de música do Estado. Iniciado em 1995, e institucionalizado pelo Estado, em 2005, o Sebam já foi considerado pela Fundação Nacional de Artes (Funarte), do Ministério da Cultura, um projeto modelo, até sua paralisação, em 2013, por falta de apoio governamental.

Quando em plena atividade, o programa proporcionou aos municípios capacitação e formação de músicos, doação de instrumentos, produção de material didático, além da apresentação de bandas do Interior na Capital, dentro do programa “Pra ver a banda”. Após quase cinco anos de desativação, o programa retornou, com apoio do Gabinete da 1ª Dama, pelo Programa Mais Infância Ceará. Desde o ano passado, diversas ações têm sido realizadas, como o 1º Encontro de Regentes e o Curso de Gestão de Bandas, em Santana do Cariri; a formação de maestros, dentro do “Festival Cordas Ágio”, de música do Cariri; além do encontro de regentes, no ano passado, no Festival Música da Ibiapaba.

“Após um encontro de maestros do Estado, pudemos reavaliar essa importante política pública. Solicitamos a retomada, cada um propondo novas demandas. A modernização das mesmas e a realização de cursos e capacitações também fazem parte da retomada”, pontua Arley França, coordenador do Sistema Brasileiro de Bandas e Orquestras (Sinfonia.Br), instituição que busca democratizar o acesso da população à música de concerto, incluindo socialmente crianças e adolescentes, além de formar novos instrumentistas.

Com o lançamento do Edital, a Secult busca credenciar municípios interessados na implantação, ampliação ou modernização de suas bandas de música, por meio da cessão de uso de instrumentos musicais e capacitação de crianças e jovens músicos. A ideia é reconhecer e fortalecer a banda de música como instrumento cultural para a experiência da música como meio de desenvolvimento pessoal e social. Para o Sebam, a banda de música é entendida como uma escola livre para educação musical, que deve envolver músicos profissionais, regentes, arte educadores e escolas da cidade, por meio de oficinas, ensaios e apresentações artísticas e demais atividades formativas e de ampliação cultural.

“O investimento inicial, por meio de licitação para aquisição dos instrumentos, gira em torno de R$ 5 milhões. O mais importante, é que o programa sugere que a banda em questão tenha, além de seu regente instituído, uma relação estreita com as escolas da comunidade. O edital oferta 20 vagas para implantação de banda e 40 para modernização”, lembra Valéria Pinto Cordeiro, coordenadora de Artes e Diversidade Cultural da Secult. Todas as instituições proponentes devem estar cadastradas no Mapa Cultural do Ceará, no site http:/www.Mapa.Cultura.Ce.Gov.Br. O Mapa Cultural do Ceará é um banco de dados que compõe o Sistema de Informações Culturais do Estado (Siscult).

Criada no fim do século XIX, pela Igreja Católica, a Banda de Música de Sobral passou a fazer parte do Município em 1995. Com 28 integrantes, deve ampliar para 32 ainda neste ano. Além das demandas de atividades do Poder Público, a estrutura atende a toda a comunidade, com uma média de 120 apresentações anuais. “Esse projeto vai impulsionar as muitas bandas que estão desativadas no Estado. Só na região Norte, temos cerca de 20 com falta de apoio, ou que têm problemas de manutenção da estrutura, por não existir nenhuma política pública do próprio Município. Em outros casos, há os instrumentos e os músicos, mas faltam maestros”, diz o maestro Diego Melo, à frente da banda há cerca de três anos, mas que faz parte dessa história desde que entrou, como aluno. Se firmou saxofonista há 21 anos, passou a contramestre e depois a regente.

A situação da banda de música de Milhã, no Sertão Central, é bem diferente de Sobral. Criada em 1999, ela funcionou até 2003, encerrando suas atividades por falta de interesse da gestão municipal. Em 2005, o trabalho retornou, com atividades até 2012. No ano seguinte, sob outra gestão, a banda de música dispensou mais uma vez seus 25 integrantes, permanecendo inativa até o ano passado. 2018 trouxe mudanças. Em março, após vários apelos, a banda foi instituída por Lei pelo Município.

“Com esse importante passo, além da adesão ao Mapa Cultural do Ceará, no início do ano passado, Milhã se credencia a participar do edital”, comemora o maestro Wdelaneo Pinheiro, que corre para atender à demanda do certame. “Agora estamos em processo de traçar metas e adequarmos o nosso projeto ao que pede o edital. Temos muita fé que a Banda de Música de Milhã retornará com força total”, afirma o maestro.

Paulo Fabiano Nunes responsável pela Banda de Música de Araripe, no Cariri cearense, conta que, parada há cerca de três anos, a banda, criada há dez, possui 23 músicos. O retorno das atividades, há cerca de 45 dias, impulsionou também a criação da primeira escola de música do Município. “Esperamos que o edital venha somar, principalmente na troca dos instrumentos, que estão bastante sucateados. Já temos pessoas interessadas em entrar no projeto da banda e dar um recomeço a esse importante trabalho”, conta o maestro.

“Uma banda é de extrema importância socioartísticocultural. Muitas cidades, principalmente as menores, são espaços de inclusão social, ao promoverem a educação artística musical para a população de diversas faixas etárias e classes sociais”

“Sou morador de Milhã, no Sertão Central, e vejo como total importância, a presença de uma banda de música em qualquer cidade. Sou saxofonista na banda do meu município, e sei que além da educação musical, nós somos preparados para a vida”

Coluna Satélite

Comentários

Você não precisa sofrer pra fazer dieta.

entre para o Desafio 19 dias