E até imagino você já se perguntando: mas Viviane, o ano mal começou e você já está pensando no ano que vem? As grandes empresas modernas agem assim e elas vão mais além: elas pensam daqui a 5,10 anos. Por isso que estão sempre na frente, buscando inovação e se diferenciar cada vez mais no mercado. E por que não fazemos o mesmo com a nossa vida pessoal e, especialmente, com a nossa carreira musical?

E você ainda poderia dizer: mas Viviane, a situação do país não está boa, sequer somos valorizados como músico, que dirá como professor de música! E para te falar a verdade, eu nem acredito mais que as coisas vão mudar…”

Eu não sei se você já parou para pensar sobre este assunto, mas, pelo menos para mim, dentro do meu contexto pessoal, os próximos 10 anos têm um significado muito forte, pois representam os meus próximos 10 anos produtivos, onde também estarei caminhando para a terceira idade. E isto toma outra proporção. Isto requer que eu entenda que… “as decisões que eu tomo hoje vão impactar o meu futuro de uma maneira exponencial”!

Mas e você? O que os seus próximos 10 anos significam e qual o impacto que terão na sua vida e na sua carreira? Que diferença vai fazer na sua vida, no seu contexto?

Eu espero sinceramente que você pare um momento para analisar a profundidade do que acabei de dizer, que reflita sobre as oportunidades que têm surgido para você e o quanto vai te custar se perder estas mesmas oportunidades. Sim, pare para rever algumas coisas.

Pode ser “desconfortável” ter que fazer esta análise pessoal, esta imersão dentro de si mesmo, porque é mais fácil ignorar o assunto e simplesmente deixar ir passando um dia após o outro… Lembra daquela música: “nada como um dia atrás do outro…”? Ou então: “deixa a vida me levar, vida leva eu”?

Pois é. Não enfrentar esta avaliação interna vai fazer com que você continue exatamente do jeito como está. E este ano será apenas mais um ano como todos os outros 10 anos que já estão ficando para trás. Porém, você vai se agradecer mais tarde por ter se permitido fazer esta reflexão.

Outro dia conversando com um músico profissional e professor de uma famosa escola no Rio, eu fiquei alarmada ao saber que muitos, mas muitos professores de canto e pasmem, de renome, ainda continuam ensinando técnicas de canto como eram ministradas no passado.

Em outra ocasião, uma pessoa também comentou que sabia tudo sobre canto, pois tinha experiência de anos, e que esta era uma área que não precisava de ajuda ou conhecimento. Pela descrição que a própria pessoa deu do conhecimento que tinha, pude constatar que de fato ela não estava atualizada e nem de acordo com o que os cientistas da área da biologia com background em música estão ensinando e mostrando baseado em anos de pesquisas, testes, experiências e certificação dos resultados.

Estas pessoas definitivamente resolveram permanecer estagnadas, em vez de se atualizarem e o pior, deixaram de se questionar como ensinam e o porquê de ensinarem seus alunos daquela forma. O mais triste disso tudo é que existe um grupo enorme de estudantes pelo país que estão sendo ensinados com técnicas totalmente equivocadas…

Não quero dizer que este seja o seu caso. Não me interprete mal nem se sinta ofendido(a). Quando eu estudava canto, há muitos anos, eu também aprendi da maneira antiga, porque era assim que era ensinado, então já passei pela experiência de utilizar técnicas que não eram absolutamente corretas. Sabe aquela história do abacate e do ovo que no passado eram considerados mal para a saúde e ninguém questionava a razão? E ai daquele que falasse o contrário… Até que alguém começou a contestar esta ideia e houve uma total mudança de paradigma ao se descobrir, na verdade, os benefícios que estes alimentos trazem à saúde! No canto precisa acontecer a mesma coisa. É necessário estar em constante atualização, ser revisto, sob pena de se estagnar no tempo.

Mas eu sempre fui curiosa e comecei a questionar sobre algumas coisas que para mim não faziam sentido. Em razão disso fui atrás de pesquisas e informações nesta área e assim descobri métodos mais dinâmicos de ensino. Com o conhecimento que adquiri nos estudos e me especializando com os maiores especialistas do mundo, meu desejo hoje é compartilhar todo este conhecimento e ajudar aqueles professores interessados em se qualificar cada vez mais, dispostos a abrir mão de suas convicções antigas e conhecer novas ferramentas e técnicas para modificarem o que estão fazendo e como estão fazendo, tendo assim maiores resultados em suas aulas de música.

O problema é que quando começamos a falar de mudanças necessárias, existe uma certa resistência, o que a princípio é natural, pois o resistir à mudanças é uma estratégia de defesa, uma forma da nossa mente nos proteger, mas…

“Não dar ouvidos à necessidade de mudar é um desserviço pra você mesmo e isto vai impactar não só a sua vida, como também das pessoas relacionadas à você e, principalmente, daquelas que dependem de você”.

– Outra comentou que não precisava de “frescuras” para ensinar música, pois já dava aulas há mais de 40 anos e que já tinha experiência o suficiente.

– E por fim uma delas disse desse jeito: “Viviane, a falta de alunos não se aplica no meu caso, pois estou utilizando alguns métodos de marketing que estão me servindo muito bem nesta área e a minha agenda está lotada”!

O que me pareceu é que estes professores não se preocuparam em ler todo o conteúdo da mensagem e muito menos prestaram atenção no pouco que leram. E sabemos que texto sem contexto é pretexto, certo?

Eu fiquei um pouco preocupada com a conclusão que estes profissionais tiveram a respeito do convite direcionado a eles. Penso que fizeram uma leitura totalmente equivocada do propósito do evento, considerando que sucesso na mente destas pessoas era baseado no fato de estarem lotados de alunos e medido pelo tempo de ensino.

É evidente que ter uma agenda lotada de alunos é maravilhoso, não há nada de errado nisso. Inclusive este é o desejo de muitos professores e o nosso propósito também é que você consiga obter vários alunos com as técnicas que irá aprender e possa se expandir cada vez mais, porém…

Será que há mudança na qualidade de vida e produtividade destes profissionais da educação musical? Será que eles estão conseguindo crescer em número, mas ao mesmo tempo se atualizando?

“Será que os estudantes destas escolas estão sendo treinados e ensinados de tal forma que estejam preparados para competirem globalmente? A verdade é que muitos mal estão sendo preparados para ir para uma instituição de ponta internacional…”

Quando uma pessoa de imediato rejeita oportunidades de melhoria, e tem a mentalidade fechada para aprender coisas novas, decerto está se privando de crescer e de se aprimorar cada vez mais. Ao não encarar novos desafios e se recusar a ouvir opiniões diferentes, acabam por permanecer ensinando metodologias antigas em que os estudantes sequer conseguem, com louvor, prestar um exame de música no exterior…

No caso da pessoa que disse estar utilizando o “marketing” na captação de clientes, durante nossa conversa ela explicou o que estava fazendo e logo pude perceber que na verdade estava usando um marketing ultrapassado. A “agenda lotada” não significava que a pessoa estava se expandindo. Infelizmente a pessoa não conseguiu pensar “fora da caixa” e aceitar a possibilidade de que haveria outras maneiras dela se expandir.

Com relação a ser veterano no ensino da música, isto é admirável, respeitável e louvável, mas não significa que mesmo assim você não deva acompanhar e se adaptas às mudanças.

Muitas empresas deixaram e outras estão deixando de existir porque pararam de “ouvir”, porque confiaram no seu “status”. Acreditavam que eram fortes e inabaláveis, até que vieram outras com ideias novas e passaram como um furacão na vida destas empresas. E elas de repente foram parar na “uti” tentando revitalizar as companhias, reajustar a sua maneira operacional, tentando mudar a “cultura” organizacional… só que aí foi tarde demais. Eu poderia citar inúmeros exemplos aqui…

Os empregados destas empresas estavam tão acostumados a viver daquele mesmo jeito por anos e anos, que não conseguiram entender que eles também teriam que mudar e abrir mão de muitas coisas. É fato que o mundo mudou, a tecnologia mudou, a logística, o modelo e a formato das empresas atuarem mudaram completamente… Eles não enxergaram à tempo que seria muito mais doloroso perder o trabalho do que se adaptar às mudanças do mercado.

Qualquer profissional com o mínimo de bom senso sabe que precisa acompanhar a onda de mudanças e tem a obrigação de sempre se atualizar, buscar coisas novas para motivar a si próprio e manter os seus alunos cada vez mais interessados na aprendizagem, além de ajudá-los a pensar grande quanto à sua futura carreira musical.

Então, quando disse que fiquei preocupada com tais argumentos foi porque a gente sabe o final da história… Agora, se você tem uma escola com muitos alunos e a sua escola vem se destacado na sua região, quero lhe dar os parabéns e me alegrar com as suas conquistas!

Porém, nunca é demais buscar por mais conhecimento, principalmente com os mais experientes. Eu faço isso até hoje e continuo investindo no meu conhecimento. Os renomados e grandes líderes de empresas têm os seus mentores (alguns coaches ou conselheiros), porque eles sabem que não podem e nem devem andar sozinhos.

“O fato de muitos terem sucesso em suas empresas, de terem diversas formações e currículos impecáveis, não retira a realidade de que, mesmo com tudo isto a favor deles, ainda necessitam de mentores”.

Precisamos mudar a nossa mentalidade, os nossos paradigmas e estarmos dispostos a abraçar as transformações que queiramos ou não, mais cedo ou mais tarde irão nos atingir. É inevitável e, saiba de uma coisa: as mudanças chegam sem pedir licença.

Quando as mudanças chegarem e se instalarem de vez, o que eu ou você achamos será indiferente. Ou a gente se adapta e adere às novas mudanças, ou vamos nos perder nesta história. Se lembra do Orkut e do My Space? O Facebook e o Instagram “tomaram o lugar” das duas redes sociais. Em razão de algumas políticas e o risco de ter a conta bloqueada, já tem startups surgindo para se contrapor contra alguns gigantes da internet. Será que alguns destes gigantes atuais também não poderá ser abalado? Não sabemos. Mas pense a respeito…

Veja este exemplo bem atual: hoje usamos o WhatsApp, certo? Se o WhatsApp não se reinventar, ele pode acabar entrando na “UTI” também… Sabe por quê? Porque uma empresa pensou justamente no que o ele não tem!

O Telegram foi criado com diversas funções que faltam ao WhatsApp, por isso que tenho insistido para que vocês instalem este aplicativo no seu aparelho celular. Não se preocupem, porque não represento o Telegram e nem ganho nada fazendo propaganda para o aplicativo, mas só mencionei isso para vocês entenderem a importância de se inovar, de pensar lá na frente, fora da caixa. E eu continuo usando o WhatsApp. Mas vejamos algumas destas mudanças:

Mas estou compartilhando estas coisas porque eu sei que você não pensa assim, pelo contrário, quer crescer e mudar. Eu até entendo que você possa estar desanimado(a), desacreditado(a) das coisas e sem perspectivas. Sim, eu te entendo!

Mas eu também sei e posso afirmar que existe uma luz no fim do túnel e por isso quero lhe dizer que tem sim como dar uma reviravolta na sua vida e na sua carreira musical, se você decidir

“sair do isolamento, andar com as pessoas certas, tirar o seu foco das suas próprias circunstâncias, adquirir uma nova visão, estar aberto para mudanças e agir!

Então, aproveite este início de ano para participar do nosso Evento Online Gratuito para Professores de Música e Proprietários de Escola! Se você por algum motivo não conseguiu estar nos outros eventos, faça um esforço e participe deste evento.

Ele foi feito para você, para o seu crescimento pessoal e profissional, para que adquira uma nova visão das coisas e receba informações de primeira mão, inclusive sobre as inovações que tenho tomado conhecimento aqui nos EUA, onde resido! O tempo que gastamos preparando tudo para que você assista, o nosso investimento para que você assista as aulas virtuais em uma plataforma de qualidade, adicionado aos conteúdos de muito valor que vamos disponibilizar para você revelam que o seu bem-estar e o seu crescimento profissional são prioridades para nós!

Teremos muitas coisas novas acontecendo durante este ano e você não pode perder este “trem expresso da mudança” que está passando para lhe dar a oportunidade de se preparar e ser o professor do futuro, antes que as transformações ocorram e você fique para trás por perder o “trem”. Eu já perdi o trem no inverno e tive que ficar na estação com o maior frio da neve! Eu sei na pele o que significa “perder o trem”, ainda mais o último trem…

CLIQUE NESTE LINK AQUI para se registrar para o evento e faça parte do grupo de professores que se importam sim com o futuro, com as inovações que estão para acontecer e que desejam ser parte da mudança e estar acima da média.

Tema do Primeiro workshop: Existem 2 Erros que podem estar acontecendo neste exato momento dentro das suas aulas ou dentro da sua escola de música. Só que estes 2 erros custaram 12 milhões de dólares para grandes empresas. Imagine se isto acontecer com você ou com as suas aulas de música?

Pasme, mas estes erros estão acontecendo sim nas suas aulas e não importa se o que você arrecada financeiramente é pouco ou muito, as perdas acontecem de qualquer forma.

Se você já tem o aplicativo do Telegram instalado no seu celular, clique no link abaixo para entrar diretamente no grupo de professores de vários países que já estão lá!

Viviane é fundadora da Lideramus (Liderança + Música) e atua como mentora no ramo musical ajudando professores de música a se equiparem com inovação, expertise e ferramentas. Com foco em educação, desenvolvimento pessoal e consultoria, Viviane também tem inspirado e ajudado alunos a desenvolverem o seu lado artístico e se tornarem músicos profissionais, os quais tem sido aceitos em conceituadas universidades nacionais e internacionais.

Comentários