Conheça os golpes usando Pix e saiba como se proteger

Conheça os golpes usando Pix e saiba como se proteger

Os atrativos da ferramenta são também os que mais chamam a atenção dos criminosos: a possibilidade de fazer transações gratuitas e instantâneas a qualquer dia e horário. Devido a disso, os consumidores têm menos tempo para perceber que estão sendo vítimas de um golpe e cancelar a operação.

Esse código permite a clonagem do WhatsApp e o sequestro do perfil. Se o usuário não ativar a autenticação em duas etapas, o golpista consegue instalar a conta em outro aparelho. A partir daí, aciona os contatos da vítima e pede ajuda financeira, principalmente transferência por Pix.

Habilite a autenticação de duas etapas na sua conta do WhatsApp. Abra o aplicativo, clique no menu de três pontos e acesse as configurações. Em “conta”, escolha “verificação/confirmação em duas etapas”. Clique em “ativar” e escolha uma senha seis dígitos para a conta do WhatsApp.

O criminoso aproveita o desconhecimento sobre os tipos de chaves Pix que os usuários podem cadastrar, se passa por atendente do banco e induz o consumidor a criar uma chave Pix. Para efetivar o cadastro, seria necessário fazer um teste. É nesse momento que a pessoa cai no golpe e acaba transferindo um valor.

Nunca forneça seus dados ou faça operações bancárias em ligações. A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) alerta que funcionários de instituições bancárias nunca solicitam a confirmação ou cadastro de dados pessoais em conversas telefônicas. Inclusive, esclarece que os bancos não pedem que os clientes façam testes com as chaves Pix cadastradas.

Esse golpe começa com a divulgação de uma notícia falsa, que afirma que existe uma falha no Pix que permite que as pessoas recebam um prêmio em dinheiro quando transferem valores para determinadas chaves. O resto você já sabe: o cliente transfere o valor para a suposta chave premiada e o dinheiro vai direto para a conta do golpista.

Uma das formas de fazer pagamentos por Pix é via QR Code, comuns para transferências em apresentações on-line que arrecadam dinheiro para artistas ou instituições. Os golpistas fazem o download desses vídeos e criam uma nova transmissão com um QR Code falso, e o dinheiro vai direito para a conta do criminoso.

Confira a publicação original

Facebook Comments